As ações do Spotify e Netflix registraram alta de mais de 6% e 2% nesta quinta-feira (2). O motivo? A Apple anunciou que vai alterar uma das regras vigentes na App Store. Antes, a plataforma de streaming de áudio chegou a declarar que o formato de vendas da loja de apps da empresa de Cupertino prejudicava os seus negócios.

A novidade é: agora, empresas de streaming terão margens mais altas no valor das assinaturas de usuários que utilizam produtos da marca da Maçã.

publicidade

Segundo a Apple, os aplicativos que oferecem assinatura de conteúdo (como o Spotify e Netflix), poderão fornecer um link externo no app para que novos usuários se inscrevam, permitindo que essas empresas contornem as taxas de até 30% cobradas pelas vendas na App Store.

Leia mais:

A reclamação do Spotify sobre a regra que proibia incluir um link no seu app para iOS vem de longe, segundo a Cnbc, desde 2016. Na época, a empresa chegou a enviar um comunicado à Apple após uma versão de seu aplicativo ter sido rejeitada na loja por incluir um link para cadastrar novos clientes.

O Spotify afirmou que essa medida causou graves prejuízos ao serviço e os seus clientes.

Netflix também vai se beneficiar da novidade

Logo da Netflix em um celular junto com um pote de pipoca
Netflix poderá incluir um link que redireciona novos assinantes ao site do serviço no seu app para dispositivos Apple. Imagem: Xalien/Shutterstock

Quem também vai se qualificar sob a nova regra da App Store é a Netflix. Até então, quando o aplicativo da plataforma era baixado pela primeira vez no iPhone, o sofware exibia uma mensagem para os usuários que dizia que não era possível assinar o serviço pelo app.

Com a mudança, agora a empresa poderá fornecer um link no aplicativo que redireciona o usuário para que ele se inscreve no site da plataforma.

Anteriormente, isso era proibido. A recomendação era que os desenvolvedores utilizassem apenas o sistema de cobranças da App Store.

A concessão, feita como parte de um acordo da empresa de Tim Cook com a Associação de Comércio Justo do Japão, não afetará todos os aplicativos da loja de apps. As transações em jogos, por exemplo, não terão permissão para contornar as taxas cobradas pela Apple.

Por fim, resta saber quais serão os outros apps que vão se beneficiar da regra, já que tudo depende do que a Apple considera como “aplicativos que fornecem assinaturas de conteúdo” em suas diretrizes.

Créditos da imagem principal: BigTunaOnline/Shutterstock

Fonte: Cnbc

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!