Nos jardins da residência oficial do governador de Santa Helena, uma das ilhas mais remotas do globo, que faz parte do Território Ultramarino Britânico, vive Jonathan, uma tartaruga-das-seychelles macho conhecida como o animal terrestre vivo mais velho do mundo, aos 189 anos.

Como todo ser vivo já em idade (bem) avançada, Jonathan já vem, há um bom tempo, apresentando sinais de velhice, como cegueira e outras deficiências características da longevidade, em especial o faro e a textura da face de queratina, o que o tornou um roedor praticamente ineficiente. Assim, ele vinha se alimentando mal, basicamente de galhos, folhas e grama, que eram as únicas coisas que conseguia identificar e aproveitar da natureza.

publicidade

Vida de Rei na Terra da Rainha

Agora, após passar por um tratamento digno de um rei britânico, Jonathan faz uma dieta hipercalórica rica em alimentos nutritivos, como maçãs, cenouras, pepinos, bananas e goiaba, o que está permitindo a recuperação de sua saúde e vigor, segundo o veterinário Joe Hollins relatou à revista National Geographic.

“Seu bico, antes cego e quebradiço, se tornou afiado e letal, então ele provavelmente estava sofrendo de microdeficiências de vitaminas, minerais e oligoelementos, até a atualização da dieta”,  disse Hollins.

Jonathan tinha cerca de 50 anos quando chegou a Santa Helena. Desde então, outras tartarugas, incluindo David, Emma, ​​Frederika e Myrtle, juntaram-se a ele. Mas, nenhuma das três fêmeas pode acasalar com Jonathan, informou a agência Saint Helena’s Info.

animal mais velho do mundo tartaruga Jonathan
Jonathan é cego em decorrência de catarata e perdeu totalmente o olfato, mas tem perfeita audição. Imagem: Saint Helena’s Info

Animal mais velho do mundo tem excelente audição

Embora cego de catarata e totalmente sem olfato, a enorme tartaruga ainda tem uma audição excelente, de acordo com seu veterinário.

“Uma vez por semana eu o alimento na mão para aumentar sua ingestão de calorias”, informou Hollins em relatório. “Depois de sua refeição, eu limpo seu queixo, coço sua garganta e desejo-lhe tudo de bom”.

Muitas pessoas nunca ouviram falar dessa espécie, também conhecida como tartaruga gigante Aldabra, e podem até mesmo confundi-la com seus primos moradores das Ilhas Galápagos (as tartarugas-gigantes-de-galápagos). Mas, essas tartarugas são bem diferentes.  

“As tartarugas gigantes Aldabra são muito mais interessantes e sociáveis ​​do que a maioria das pessoas poderia esperar”, diz  Justin Gerlach, coordenador científico do Nature Protection Trust of Seychelles (Órgão de Proteção da Natureza das Seychelles, em tradução livre). 

Leia mais:

Na vida selvagem, esses animais formam grupos ou rebanhos que gostam de se reunir em pastagens abertas. E em cativeiro, “se bem mantidos, eles buscarão companhia humana”, diz Gerlach. “Algumas das tartarugas até gostam de ser acariciadas”.

Embora as tartarugas Aldabra estejam praticamente protegidas da caça hoje, Gerlach diz que há um perigo muito maior para a espécie. O Atol de Aldabra está a apenas entre um a dois metros acima do nível do mar, e os cientistas estão prevendo que os oceanos do mundo vão subir até cerca de um metro até o ano 2100.  

Outros animais que superaram a expectativa de vida de suas espécies

As tartarugas gigantes das Seychelles têm uma expectativa de vida de 150 anos, mas Jonathan parece estar forte, superando em quase 40 anos esse marco.

Outros animais de vida longa incluem a hidra (um animal marinho da mesma família das águas vivas) que dizem ser imortal, e um coral do fundo do mar de aproximadamente 4,2 mil anos que  vive na costa havaiana. 

Susannah Mushatt Jones, de 116 anos, moradora de Nova York, é o ser humano mais velho do mundo. Embora não chegue nem perto da idade de Jonathan, ela ainda vence o gato vivo mais velho (26 anos) e o panda mais antigo vivo em cativeiro (37 anos) já registrados.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!