“3 minutos para fazer história”. Foi assim que o presidente de El Salvador anunciou em seu Twitter que o país estava prestes a oficialmente aceitar bitcoin como moeda local, com unidades da moeda circulando localmente a partir desta terça-feira (7).

Neste ano, El Salvador ficou conhecido mundialmente como o primeiro país a aceitar oficialmente o bitcoin como moeda local.

Um dia antes de legalizar a circulação dos criptoativos no país por lei, El Salvador havia adquirido 200 bitcoins. Nesta segunda, o presidente afirmou que o país dobrou a meta e possui agora 400 unidades da moeda digital – o que equivale a quase de US$ 20,5 milhões na cotação desta terça-feira (7).

A cotação da moeda, inclusive, foi algo que mudou após o anúncio. Com a oficialização da entrada do bitcoin em El Salvador, o valor do criptoativo aumentou 1,49%, alcançando mais de US$ 52.680. Nesta terça-feira, porém, o preço sofreu uma leve queda, totalizando US$ 50.569,34, de acordo com dados da CoinMarketCap.

Segundo o presidente, a compra dos ativos foi o primeiro passo para impulsionar a moeda digital ao balanço patrimonial local.

“Como toda inovação, o processo #Bitcoin em El Salvador tem uma curva de aprendizado. Todo caminho para o futuro é assim e nem tudo será alcançado em um dia, ou em um mês. Mas devemos quebrar os paradigmas do passado. El Salvador tem o direito de avançar para o primeiro mundo”, disse Nayib Bukele, presidente de El Salvador, por meio de sua conta no Twitter.

Leia também!

Changpeng Zhao, CEO da Binance, hoje considerada a maior bolsa de criptomoedas no mundo, parabenizou o país por adotar oficialmente o bitcoin.​

A CoinDesk, uma das principais publicações especializadas em criptomoedas, também deu as boas-vindas do país à criptolândia.

Um pouco de contexto

A “Lei do Bitcoin”, que foi a legislação responsável por legalizar o uso da moeda em El Salvador, foi aprovada em junho pelo presidente Bukele, com ajuda do Congresso.

A aprovação foi vista localmente e por muitos analistas de mercado como um grande avanço tecnológico para El Salvador.

Mas há também quem diga que a adoção pode gerar diversos problemas futuros – em especial para o próprio país, visto que 70% da população é desbancarizada, ou seja, está fora do sistema bancário e é difícil imaginar como um povo que nem ao menos está habituado com o sistema financeiro tradicional vai se adaptar tão rápido às tecnologias disruptivas atuais.

Saiba mais: entenda a adoção do bitcoin como moeda em El Salvador

Como resposta a isso, o país desenvolveu uma carteira virtual oficial, a Chivo Wallet. Por meio dela, serão disponibilizadas moedas para todos os cidadãos. A aderência à tecnologia, apesar de estar disponível a todos, não é obrigatória.

Crédito da imagem principal: Marcelo Mollaretti/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!