Pesquisadores japoneses encontraram o fóssil de um Carcarodontossauro, uma espécie de primo concorrente mais forte do Tiranossauro (“T.Rex”), no Uzbequistão. O osso, correspondente à parte superior da mandíbula, revela que o espécime tinha cerca de oito metros de comprimento (da cauda à cabeça) e pesava aproximadamente uma tonelada.

Os cientistas o apelidaram de Ulughbegsaurus uzbekistanensis, em homenagem a Ulugh Beg, matemático e astrônomo do século XV e que foi o sultão do que viria a ser hoje o Uzbequistão.

publicidade

Leia também

Foto mostra a mandíbula de um Carcarodontossauro, uma espécie de "concorrente" do T.Rex
Fóssil do Carcarodontossauro, uma espécie de “concorrente” do T.Rex, foi encontrado na Ásia. Imagem: Escola de Vida e Ciências Ambientais de Tsukuba/Reprodução

O fóssil foi escavado do deserto de Kyzylkum em 1980, sendo redescoberto em 2019 em uma coleção do museu nacional do Uzbequistão. Estima-se que o concorrente do “T.Rex” tenha vivido há cerca de 90 milhões de anos, dividindo espaço não apenas com seus primos menores, mas também com o diminuto Timurlengia. Em outras palavras, é provável que o Carcarodontossauro tenha sido o superpredador (nome atribuído a animais que estão no topo da cadeia alimentar, sem inimigos naturais) da região.

“Nossa descoberta indica que o Carcarodontossauro era o mais dominante – ou alfa – na Ásia há 90 milhões de anos”, disse Kohei Tanaka, líder do estudo e professor assistente da Escola de Vida e Ciências Ambientais de Tsukuba, no Japão.

Segundo os cientistas, a principal diferença entre o Carcarodontossauro e o Tiranossauro era na forma do corpo: o primeiro era mais esbelto, com a musculatura mais distribuída, ao passo em que o segundo era mais compacto, porém com músculos mais evidentes. Entretanto, o Carcarodontossauro podia atingir pesos próximos de seis toneladas. Essencialmente, um “crossfiteiro” mais alto e um bodybuilder baixinho.

Eventualmente, há 80 milhões de anos, a espécie foi desaparecendo, dando seu lugar de supremacia para os tiranossauros. Estranhamente, análises no fóssil revelaram protuberâncias ósseas na lateral da mandíbula, aproximando o Carcarodontossaro de um outro tipo de Tiranossauro – o Thanatotheristes degrootorum (“ceifeiro da morte”, caso precise de um nome mais charmoso).

O ceifeiro, porém, tem um parentesco mais distante, e cientistas acreditam que as protuberâncias ósseas em ambas as espécies sejam um caso de evolução convergente, ou seja, dois animais de pouca ou nenhuma proximidade evoluindo para traços físicos similares.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!