Apesar de muitos países do mundo estarem com a vacinação contra a Covid-19 avançada, em diversas partes do globo ainda faltam imunizantes. Segundo a professora Sarah Gilbert, que liderou o desenvolvimento da vacina de Oxford, isso precisa ser levado em conta na hora de pensar em uma terceira dose.

A cientista explicou em entrevista ao Daily Telegraph que as pesquisas indicam que a imunidade com duas doses está durando um tempo considerável e que nesse momento “precisamos levar vacinas para países onde poucas pessoas foram vacinadas até agora”.

publicidade

Sarah admitiu que idosos e pessoas imunocomprometidas podem precisar do reforço, mas diz que a terceira dose não deve ser necessária para todo mundo. “Vamos examinar cada situação; os imunocomprometidos e os idosos receberão reforços. Mas não acho que precisamos dar reforço para todo mundo. A imunidade está durando bastante na maioria das pessoas”, disse.

Terceira dose da vacina contra Covid-19

No Reino Unido, país onde a vacina de Oxford foi desenvolvida, o Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização (JCVI) informou que a dose de reforço deve ser dada justamente para esse grupo, que corresponde a cerca de 30 milhões de pessoas, mas ainda não há uma decisão se isso vai ser ampliado para uma parcela maior. Um parecer definitivo deve sair nos próximos dias.

Leia mais:

De acordo com o professor Sir Andrew Pollard, diretor do Oxford Vaccine Group, em entrevista à BBC, o Reino Unido precisa ajudar outros países antes de aplicar a terceira dose da vacina contra a Covid-19 em toda a população.

“Há um risco tão grande, moralmente, de nossa perspectiva — há um risco para o comércio, há um risco para as economias, mas são também nossos amigos e colegas que precisam ser protegidos e estamos os perdendo a cada dia que passa”, explicou.

No momento, mais de 48 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no Reino Unido. As duas doses foram aplicadas em cerca de 43 milhões de pessoas. No total, 88% da população recebeu pelo menos uma dose da vacina.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!