Matrix Resurrections‘ ocorre em um mundo onde o longa original era apenas um filme, e Keanu Reeves está interpretando o homem que estrelou nele? Anunciado pela primeira vez em 2019, a nova produção despertou uma curiosidade infinita entre os fãs do clássico sci-fi feito pelas irmãs Wachowski. Como Neo e Trinity (Carrie-Anne Moss) voltariam a viver? Por que Laurence Fishburne não está no elenco? Quem seria o vilão depois que “o Escolhido” estabeleceu uma trégua entre humanos e máquinas? O primeiro trailer respondeu a algumas perguntas, mas quem afirma ter descoberto o enredo completo e não cria teorias é um mentiroso – ou um funcionário da Warner Bros.

A maioria dos fãs naturalmente assumiu que ‘Matrix Resurrections’ é uma sequência ambientada em algum momento após o final do terceiro filme de 2003, ‘Revolutions’, e aqueles próximos à produção encorajaram gentilmente a linha de pensamento. A trilogia original deixou cair “migalhas de pão” para futuras sequência (como o Oráculo prometendo que Neo retornaria, por exemplo) e o 4º longa foi amplamente teorizado entre sites, fóruns e etc. antes da revelação oficial do título. Olhando mais detalhadamente para o trailer, no entanto, não há nada que prove de forma concreta que o novo capítulo da saga é uma sequência direta que dá continuidade à narrativa estabelecida.

publicidade

Tudo é possível para Lana Wachowski – continuação, semi-reboot, partprequel, documentários no estilo de ‘The Office’- porém, e se’ Matrix Resurrections’ for uma meta-história ambientada no mundo real, onde “‘Matrix’ foi apenas um filme lançado em 1999? Por mais louco que pareça, pistas e sinais contidos no trailer de ‘Resurrections’ endossam a teoria.

‘Matrix Resurrections’, aparentemente, não segue o final da trilogia original

Keanu Reeves como Neo / Thomas Anderson em 'The Matrix Ressurections'. Imagem: Warner Bros. Pictures/Divulgação
Keanu Reeves como Neo/Thomas em ‘The Matrix Ressurections’. Imagem: Warner Bros. Pictures/Divulgação

Casar o final de ‘Matrix Revolutions’ com o trailer de ‘Resurrections’ é quase impossível. Não há nenhum sinal da trégua de Neo, quase nenhum reconhecimento dos eventos dos últimos três filmes, e nenhum dos personagens que retornam parece ou age como nós lembramos. Além da quantidade suspeita de fotos recriadas do longa original de 1999, apenas uma única cena dá qualquer sentido de que a produção seja uma sequência: durante a sessão de terapia de Thomas Anderson. No momento em questão, temos uma imagem ultrarrápida possivelmente retratando Máquinas enquanto revivem um Neo cego, o que viria direto do final do terceiro capítulo.

Como se isso não fosse curioso o suficiente, a sinopse oficial de ‘Matrix Resurrections’ descreve uma “continuação da história estabelecida no primeiro filme”. Embora Lana Wachowski possa ter simplesmente dado retcon nas sequências anteriores, a linha supervaga também pode ser interpretada como prova de que o quarto longa não existe dentro da continuidade da trilogia original de qualquer jeito.

O fato de Lana Wachowski ter retornado ao universo de ‘Matrix’ já é um tanto surpreendente por si só, mas a decisão faria mais sentido se o quarto filme não fosse uma sequência convencional. Uma meta-reviravolta autorreferencial no conceito central da trama seria muito mais gratificante criativamente ao ponto de causar o mesmo impacto simbólico e psicológico no público tal qual o longa original – e, portanto, mais provável de atrair a diretora de volta.

‘Matrix Resurrections’ certamente não parece uma continuação regular, mas com os mesmos atores, ainda há alguma conexão entre o novo filme e os capítulos anteriores da saga. Mas, e se…

Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss interpretam atores da Matrix

Considere o seguinte: ‘Resurrections’ acontece no mundo real de 2021, onde um filme chamado ‘Matrix’ muito semelhante ao que todos nós conhecemos, amamos e lembramos foi lançado 22 anos antes.

Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss em 'The Matrix Resurrections'. Imagem: Warner Bros./Divulgação
Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss em ‘The Matrix Resurrections’. Imagem: Warner Bros./Divulgação

Nossa primeira pista é o personagem de Keanu Reeves, cujo terapeuta se refere como “Thomas”. Os fãs irão naturalmente ligar ao nome verdadeiro de Neo antes de ser libertado da Matrix, “Thomas Anderson”. Todavia, como o sobrenome do personagem nunca é falado, é impossível ter certeza. Curiosamente, o novo protagonista tem muito pouco em comum com a versão original de 1999, que trabalhava em um escritório, alugava um apartamento pequeno e sujo, e hackeava computadores em meio ao tempo livre.

O Thomas de ‘Resurrections’, como visto no trailer, é dono de um apartamento moderno e chique, e embora as imagens o mostrem mais na vida diária de onde mora, a ocupação real do personagem foi visivelmente omitida. Em vez do hacker de 1999, o protagonista do novo filme poderia ser um ator, a estrela de ‘Matrix’, que passou a desfrutar de uma carreira de sucesso no cinema – daí as roupas bonitas, a luxuosa moradia e o terapeuta caro.

A personagem que está servindo Keanu Reeves em um café, e há uma faísca de reconhecimento entre os dois. Os fãs presumem que a centelha representa Neo e Trinity lembrando que já se apaixonaram. Em vez disso, e se Thomas estiver vagamente se lembrando da barista como a coestrela em ‘Matrix’? A ex-Trinity pode estar interpretando uma atriz que estrelou ao lado de Thomas, mas que não teve a mesma trajetória ascendente na carreira, explicando o trabalho na cafeteria. Isso não apenas explicaria o protagonista lutando para se lembrar da ex-colega, mas os caminhos diferentes que tomaram – assim criando um meta-comentário sobre as carreiras pós-Matrix de Reeves e Moss na vida real.

Por que Laurence Fishburne não é Morpheus?

Yahya Abdul-Mateen II em 'The Matrix Resurrections'. Imagem: Warner Bros./Divulgação
Yahya Abdul-Mateen II em ‘The Matrix Resurrections’. Imagem: Warner Bros./Divulgação

O trailer de ‘Matrix Resurrections’ nos dá tempo de bala, poderes sobre-humanos, agentes transformadores e espelhos malucos – o que prova que a história se passa dentro de uma simulação criada por Máquinas que escravizaram a humanidade. O enredo principal do novo capítulo poderia ser Thomas, 20 anos depois de estrelar como o “Escolhido”, suspeitando que o filme era realmente verdadeiro, e o mundo ao redor realmente é falso. Ele visita um terapeuta e começa a tomar os comprimidos, com medo de enlouquecer, mas acaba “seguindo o coelho branco” e conhece pessoas do mundo real que confirmam as suspeitas, uma das quais é Morpheus.

Isso explica claramente por que Yahya Abdul-Mateen II está interpretando o personagem: ele é o verdadeiro Morpheus. Laurence Fishburne foi apenas o ator que retratou o líder da Nabucodonosor como outro membro do elenco escalado ao lado de Thomas e Carrie-Anne Moss.

Uma participação especial em ‘Resurrections’ de Fishburne, interpretando a si mesmo, seria muito bem-vinda se a teoria fosse verdadeira.

A durona de cabelos azuis interpretada por Jessica Henwick teria um papel semelhante ao de Trinity no filme original, guiando Neo em direção à verdade e espancando impiedosamente os Agentes ao longo do caminho. Talvez ela, inclusive, seja a verdadeira Trinity…

As cenas reutilizadas de 1999 são memórias de Neo no set

Keanu Reeves como Neo em 'The Matrix'. Imagem: Warner Bros./Divulgação
Keanu Reeves como Neo em ‘The Matrix’. Imagem: Warner Bros./Divulgação

‘Matrix Resurrections’ já inclui uma quantidade anormal de referências – quase cópias – do filme de 1999. Trinity sentada ao lado de um telefone, Neo acordando no casulo, o “coelho branco”, a luta com Morpheus em um dojo, a escolha entre pílulas coloridas e etc. Para o novo filme fazer tanto esforço de recriar perfeitamente sequências antigas é decididamente estranho. Se fossem meros flashbacks, por exemplo, certamente a filmagem original seria utilizada.

As cenas podem derivar das lembranças de Thomas das filmagens de ‘Matrix’ no início da carreira no cinema. Quando o ator começa a suspeitar que o mundo é realmente uma simulação, ele reexamina a experiência na gravação, perguntando-se se está enlouquecendo ou se deveria ter juntado as pistas antes. O personagem, então, iria repetir cenas específicas na cabeça, mas uma vez que ‘Resurrections’ as vê através da perspectiva dele, tudo parece um pouco diferente de como nós, espectadores, lembramos – como uma cena de um antigo longa sempre parece irreconhecível em um documentário de bastidores, por exemplo.

O vilão de Jonathan Groff é um executivo de estúdio de cinema

Jonathan Groff em 'The Matrix Resurrections'. Imagem: Warner Bros./Divulgação
Jonathan Groff em ‘The Matrix Resurrections’. Imagem: Warner Bros./Divulgação

Uma das maiores pistas apontando para ‘Matrix Resurrections’ ser “um filme dentro de um filme” vem durante os momentos finais do trailer. O homem misterioso interpretado por Jonathan Groff não faz nenhuma tentativa de esconder o alinhamento antagônico, mas enquanto alguns sugeriram que o ator de ‘Glee’ e ‘Mindhunter’ poderia estar interpretando um novo Agente Smith ou O Arquiteto, o personagem poderia realmente ser o chefe de um grande estúdio de cinema. A chave aqui é uma certa linha falada a Thomas: “você está voltando para onde tudo começou, de volta para Matrix”.

Novamente, o público presume que Groff está falando sobre Neo sendo reinserido na simulação. Em vez disso, ele poderia se referir a Thomas, o ator, voltando para onde a carreira começou.

O fato de ‘Resurrections’ colocar um executivo de um estúdio de cinema no papel de vilão principal é exatamente o tipo de meta-acrobacia que Lana Wachowski gosta e poderia fazer, e o escritório chique de Groff no último andar só fortalece a teoria. Observe também como ele diz “de volta à Matrix” em vez de “de volta dentro da Matrix”. O pequeno detalhe sugere que o personagem não está falando sobre Neo reentrar em uma simulação.

Teorizando ainda mais, o personagem de Groff pode até pressionar Thomas a reprisar o papel mais famoso em um novo filme ‘Matrix’, espelhando como a Warner Bros. tem explorado continuamente o potencial para mais sequências nos últimos 20 anos. Louco, não é?

Por que Matrix conteria um filme revelando a verdade?

matrix ressurections neo
Cena em que Neo fica cego em ‘Matrix Revolutions’. Imagem: Warner Bros./Divulgação

Se nós realmente existíssemos em um mundo simulado como escravos de uma raça de tecnologia superior dominante, por que a mesma incluiria um filme explicando a verdade em detalhes meticulosos? Certamente é mais sensato manter a população ignorante, em vez de dar ideias malucas ao povo sobre Matrix, Morpheus e Máquinas. Estranhamente, a resposta pode estar nas teorias de conspiração…

A divulgação sobre a Matrix na mídia convencional encorajaria a mentira, persuadindo as pessoas de que a simulação e todo o universo mostrado nos filmes são simples fantasias, impedindo-as de buscar a verdade.

Aplicando o conceito à ‘Resurrections’, a simulação pode conter um filme sobre ‘Matrix’ principalmente para enganar a humanidade e fazê-la acreditar que a verdade é ridícula demais para ser real. A maneira mais eficaz de convencer as pessoas de que Morpheus não existe é dizendo que ele é um personagem fictício de um filme de ficção científica. O executivo do estúdio de Jonathan Groff poderia até ser um programa – como Smith ou o Chaveiro – criado pelas Máquinas para desviar a humanidade da liberdade por meio do poder de uma produção cinematográfica.

Leia mais:

Transformar ‘Matrix’ em “um filme dentro de um filme” inevitavelmente causaria divisões. Para alguns, isso significaria que toda a trilogia original nunca realmente aconteceu. Outra perspectiva, no entanto, é que a meta-abordagem de ‘Resurrections’ poderia preservar a santidade dos filmes anteriores. Em vez de arriscar arruinar o amado clássico de 1999 com uma continuação moderna – façanha que até mesmo ‘Star Wars’ e ‘Blade Runner’ lutaram para executar -, a saga existiria de forma independente, com o novo longa fornecendo um meta-comentário que pode ampliar o conceito de “mentes libertas com a pílula vermelha” ou “totalmente ignorantes com a pílula azul”.

Escrito e dirigido por Lana Wachowski, cocriadora da franquia original, ‘Matrix Resurrections’ traz o retorno de Keanu Reeves na pele de Neo Carrie-Ann Moss como TrinityLaurence Fishburne, aparentemente, não retornará como Morpheus no novo filme (entenda o caso). Outros nomes que retornam para o quarto longa da saga são Jada Pinkett-Smith como NiobeLambert Wilson como Merovingian Daniel Bernhardt como o agente Johnson.

‘Resurrections’ também trará novos personagens e alguns deles serão vividos por atores de peso, como Neil Patrick Harris (‘How I Met Your Mother’), Yahya Abdul-Mateen II (‘A Lenda de Candyman’), Christina Ricci (‘A Família Addams’), Jonathan Groff (‘Mindhunter’) e Priyanka Chopra (‘Baywatch: S.O.S. Malibu’).

Além deles, quatro atores de ‘Sense8’, série também criada por Wachowski, estão presentes. São eles: Brian J. Smith (Will Gorski na série da Netflix), Eréndira Ibarra (Daniela), Max Riemelt (Wolfgang) e Toby Onwumere (Capheus). De forma oficial, nenhum dos novos personagens tiveram os papéis revelados.

Matrix: Resurrections‘ está marcado para estrear nos cinemas do mundo todo em 22 de dezembro de 2021. No Brasil, a Warner Bros. antecipou o lançamento em uma semana: 16 de dezembro. Atualmente, todos os filmes da saga estão disponíveis no serviço de streaming HBO Max, além da animação em computação gráfica que precede os acontecimentos dos longas, ‘Animatrix: A História Antes da Matrix‘.

Fonte: Screenrant

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!