Uma pesquisa feita pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) foi capaz de desenvolver um equipamento capaz de coletar amostras do coronavírus no ar. Denominado como CoronaTrap, o aparelho pode auxiliar nas estratégias de combate a disseminação da Covid-19.

O dispositivo foi criado para monitorar a qualidade microbiológica do ar coletado em diversos ambientes. E para coletar o coronavírus, o CoronaTrap possui uma câmera escura que propicia as condições ideias para sobrevivência do vírus.

publicidade
Representação gráfica do SARS-CoV-2
Pesquisadores da Uerj criam aparelho para identificar coronavírus no ar. Imagem: Kateryna Kon/Shutterstock

De acordo com a pesquisa, anteriormente os dados coletados eram perdidos devido as condições tropicais de temperatura, umidade, radiação solar e níveis ultravioleta que degradavam as amostras coletadas.

Para chegar até o resultado final do aparelho, os pesquisadores criaram diversos protótipos, alguns deles prejudicavam a carga viral que era perdida antes de chegar ao laboratório. O antecessor chamado de CoronaTrack dependia de um portador individual em movimento, enquanto o atual aparelho possibilita monitorar uma área maior, coletando mais amostras ambientais.

Leia também!

“A maioria do que você vê sobre a contaminação aérea é baseada em modelos matemáticos. Me propus a ir para a parte prática”, relatou o líder da equipe do Laboratório de Radioecologia e Mudanças Globais (Laramg) do Departamento de Biofísica e Biometria da Uerj, Heitor Evangelista.

“Nós desviamos a atenção para o SARS-CoV-2 porque se descobriu logo no início da pandemia o potencial dele de contaminação pelo ar. Então montei uma equipe de voluntários do laboratório. A gente trabalhou nisso, testando, criando, desenvolvendo para investigar a dinâmica dele no ar”, disse o autor do estudo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!