Com mais de vinte marcas próprias e vários parceiros, a Multilaser, fundada em 1987 para fabricar cartuchos de impressoras, chegou à bolsa de valores após um processo de quatro meses.

Segundo Alexandre Ostrowiecki, CEO da Multilaser, “não era um projeto prioritário”. Contudo, no início de 2021, com um forte crescimento dos negócios, a marca precisava de capital de giro: “Poderíamos, então, contrair uma dívida ou abrir capital. Escolhemos a segunda”.

publicidade

A oferta inicial de ações da empresa (IPO) partiu de R$ 11,10. A operação envolveu a venda de 198.160.223 ações e movimentou R$ 2,2 bilhões. Com o dinheiro, o CEO da marca pretende reforçar a presença da Multilaser no Brasil além de mirar na expansão para outros países.

No ramo de eletroportáteis, por exemplo, a Multilaser quer crescer ainda mais. “Não produzíamos, até pouco tempo, liquidificadores, batedeiras e ventiladores, que lideram este mercado. Também devemos aumentar a produção de computadores e celulares”, diz o executivo.

Para aumentar o ritmo de produção, a companhia também vai investir em infraestrutura. Sua fábrica em Manaus (AM), por exemplo, deve aumentar em 70% para conseguir absorver a produção das novas TVs da marca.

Multilaser aposta em expansão internacional

Além de reforçar a sua presença no varejo nacional, Alexandre aponta que há duas atividades ganhando espaço nas operações da companhia. A primeira, envolve a parceria com empresas internacionais (Toshiba, Nokia e Sony) para produzir e distribuir produtos no Brasil.

Já a segunda estratégia, é ampliar o potencial de exportação da marca. O que começará pelo Uruguai, com um novo galpão, e Argentina. A Multilaser também visa levar os seus produtos no futuro para o México, Bolívia, Chile, Portugal e Angola.

Leia mais:

Negócios em alta

Empresário mostrando a lâmpada com holograma de dinheiro em chamas dentro, com fundo azul
Lucro líquido da Multilaser subiu 376,2% no primeiro semestre de 2021. Imagem: Natali _ Mis – Shutterstock

No segundo trimestre fiscal de 2021, a Multilaser obteve lucro líquido de R$ 202,3 milhões, alta de 122,9% se comparado ao mesmo período do ano passado. Em todo o primeiro semestre, o lucro líquido registrado foi de R$ 395,9 milhões, um aumento expressivo de 376,2% frente ao primeiro semestre de 2020.

Já em receita líquida, o ganho total foi de R$ 1,237 bilhão, aumento de 103,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Com um cenário atual de baixa no mercado, Alexandre Ostrowiecki não espera os mesmos ganhos nos próximos meses: “Temos inflação alta, gasolina cara, PIB retraindo. Isso tende a dar uma enfraquecida nos negócios no segundo semestre. Mas ainda temos Black Friday, Natal e 13º salário, que podem ajudar.”

Créditos da imagem principal: Miha Creative/Shutterstock

Fonte: Cnn

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!