Alegações infundadas nas redes sociais sempre existiram, mas a chegada da pandemia da Covid-19, no entanto, potencializou o problema, que passou a estar entre as principais pautas do Facebook, Instagram, TikTok, entre outros, com planos urgentes de combate à fake news.

Nos últimos dias, a nova informação que tem assustado os pais é referente ao uso das máscaras para proteção contra a Covid-19, indicada para todos desde o começo da pandemia. A ideia sugere que o uso contínuo do equipamento pode trazer problemas à saúde das crianças, já que, segundo as alegações que circulam, elas podem promover germes se ficarem úmidas ou causar níveis prejudiciais de dióxido de carbono.

publicidade

Além disso, argumentos reforçando o não uso dizem que as crianças perdem dicas visuais e sociais importantes que melhoram o aprendizado e o desenvolvimento quando seus colegas e professores usam máscaras.

crianças de máscara correndo na escola
Uso de máscara contra Covid-19 é prejudicial para as crianças?. Imagem: Shutterstock

Mas isso é verdade?

De acordo com informações do Medical Xpress, não há evidências científicas mostrando que as máscaras causam danos à saúde das crianças. Além do mais, conforme orientado por especialistas desde o início da pandemia, lavar as máscaras rotineiramente (quando de pano) as mantém seguras e limpas para o uso diário.

A respeito da vida social das crianças, também foi observado que os pequenos com deficiência visual ou auditiva aprenderam – e continuam desenvolvendo – formas de se adaptar com o uso da máscara.

“Não sabemos com certeza se as máscaras não têm efeitos no desenvolvimento, mas sabemos que existem efeitos adversos em não tentar interromper a transmissão [da Covid]”, disse a especialista em cuidados intensivos e controle de infecção do Mayo Clinic Children’s Center, Dra. Emily Levy.

Diversos estudos também já comprovaram que o uso de máscaras pelas crianças nas escolas diminui significativamente o nível de transmissão – entre elas e também os adultos –, principalmente quando combinados com outras medidas de segurança, como o distanciamento.

“Uma coisa que sabemos sobre prevenção, sobre controle de infecção, é que não existe uma única intervenção que vai ganhar o dia”, disse o, diretor de prevenção e controle de infecção do Hospital Infantil de Cincinnati, Dr. Joshua Schaffzin, no entanto, ele ressalta que as evidências de que o mascaramento é um componente-chave para tornar as escolas mais seguras é claro e está disponível em diversos canais na internet.

Recentemente, a American Academy of Pediatrics (AAP) – Academia Americana de Pediatria, em tradução – recomendou, inclusive, que as máscaras devem ser exigidas nas escolas como parte de uma estratégia abrangente de saúde pública para ajudar a reduzir a disseminação do coronavírus.

Leia mais!

Número de mortes de crianças por Covid-19 pode ser bem maior

O Brasil, por exemplo, pode ter tido um número muito maior de mortes de crianças por Covid-19 do que o relatado oficialmente. De acordo da organização global de saúde Vital Strategies, que trabalha em mais de 70 países ao redor do mundo, o país teve um número grande de subnotificação.

A organização analisou os registros e viu que em 2020 o país teve um número bem maior de crianças mortas com síndrome respiratória aguda grave, uma alta de 2.975 mortes, quando comparado com 2018 e 2019. Oficialmente, a Covid-19 levou 1.122 delas, mas os especialistas acreditam que a maior parte dos óbitos de crianças por SRAG tenham sido por coronavírus.

Os pesquisadores acreditam que a causa disso seja a negligência com que crianças foram tratadas no começo da pandemia da Covid-19. Saiba mais clicando aqui.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!