A nova política de privacidade do WhatsApp fez muitos usuários apostarem em outros serviços de mensagens, como o Telegram, e isso pode ter contribuído para o aumento de hackers no ambiente do mensageiro russo. Segundo um relatório divulgado pelo The Financial Times, o app já era um reduto antigo dos cibercriminosos pelo fato de ser criptografado e de fácil acesso e agora viu um crescimento dessa atividade.

Segundo o os investigadores do grupo de inteligência cibernética Cyberint, desde que o WhatsApp passou a obrigar os usuários a compartilharem seus dados com o Facebook o Telegram viu um aumento de público, mesmo que a queda do mensageiro rival não tenha sido tão grande. Agora, o serviço está cheio de grupos abertos que vendem vazamentos de dados de usuários.

publicidade

Telegram e hackers

O relatório menciona que o Telegram sofreu um aumento de mais de 100% do uso por hackers. Alguns dos vazamentos citados possuem mais de 300.000 a 600.000 combinações de e-mail e senha para jogos e serviços de e-mail. Outros documentos como dados de cartão e números de passaportes também aparecem.

“Seu serviço de mensagens criptografadas é cada vez mais popular entre os agentes de ameaças que conduzem atividades fraudulentas e vendem dados roubados… já que é mais conveniente de usar do que a dark web”, disse Tal Samra, analista de ameaças cibernéticas da Cyberint.

O Telegram disse que remove canais onde hackers compartilham dados de usuários assim que são identificados. A plataforma divulgou um comunicado dizendo que “tem uma política para remover dados pessoais compartilhados sem consentimento”. A empresa informou que remove mais de 10 mil comunidades diariamente.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!