Autoridades de regulamentação de mercado na Turquia estão processando o Google por ranquear seus produtos no topo das pesquisas sobre a concorrência, no que é considerado como ações antitruste. E como consequência, querem regular o sistema de busca da big tech.

Anteriormente, o Google já havia enfrentado outros casos de antitruste, condenado a pagar indenizações na Itália, nos Estados Unidos e em outros lugares do mundo. A diferença no processo da Turquia é que, pela primeira vez, a empresa está sendo obrigada a modificar seu funcionamento nas pesquisas.

publicidade

As instituições consideram que o gigante de buscas “violaram o Artigo 6 da Lei de Competição da Turquia ao abusar de sua posição dominante no mercado de serviços de busca”. Em abril deste ano, a corte local imputou uma pena de US$ 36 milhões e uma decisão preliminar de que o Google exiba resultados locais que não o favoreçam sobre seus competidores.

Segundo o julgamento, a vantagem indevida foi aplicada na promoção dos seus serviços de pesquisa e comparação de preços de aluguéis “de modo a excluir seus competidores”.

Processo antitruste pode ter repercussões mundiais ao Google

Embora o caso esteja parado no momento, é possível que o processo antitruste da Turquia crie espaço para que o Google seja regulado da mesma forma em outros países. Negócios locais e outros serviços, como o Yelp, já reclamavam do abuso de poder do gigante de buscas no seu ranqueamento de pesquisa.

O órgão regulamentador ainda precisa imputar um veredito com suas considerações completas para que o Google possa oferecer uma proposta. A decisão final se o acordo fornecido big tech se enquadra nos critérios permanece na mão das autoridades da Turquia.

Via Ars Technica

Imagem: Ascannio/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!