O CEO da SpaceX e da Tesla, Elon Musk, anunciou que o Starlink, serviço de internet via satélite da empresa, sairá da fase beta (estágio de desenvolvimento, mas pronto para ser lançado ao público) em outubro. A nova promessa chega dois meses depois da data de agosto que o bilionário deu no evento Mobile World Congress, quando também disse que esperava que a plataforma tivesse “possivelmente mais de 500.000 usuários em 12 meses”.

O executivo forneceu a atualização no Starlink, que oferece internet por meio de cerca de 1.800 satélites de órbita baixa (e contando), por meio do Twitter, mas não especificou ou deu mais detalhes. Questionado por um usuário sobre a chegada da fase beta, Musk apenas tuitou “mês seguinte” em resposta. No início de 2021, ele disse que o serviço “provavelmente” estaria presente para testes até o final do verão estadunidense, mas com apenas alguns dias pela frente, é praticamente impossível que a empresa alcance a meta.

publicidade

Sair da fase beta apontaria a aproximação da empresa para um lançamento maior da plataforma. O Starlink declarou ter recebido mais de 500 mil pedidos em maio deste ano. Um terminal custa US$ 499 e há uma taxa mensal de US$ 99 pelo serviço. O teste beta público foi aberto em outubro de 2020 e, em agosto, Musk disse que a SpaceX havia enviado 100 mil terminais, que inclui uma antena parabólica e um roteador Wi-Fi, para usuários em 14 países.

À medida que a beta termina e mais países são capazes de obter acesso ao Starlink, o número de 100 mil provavelmente aumentará, embora seja difícil dizer quando poderá atingir a marca de meio milhão que Musk previu. De qualquer forma – e como de costume, o tuite conseguiu aumentar os olhares para o serviço, algo muito necessário para aqueles que vivem em áreas remotas e que atingiu marcos impressionantes nos últimos meses.

Leia mais:

No início de agosto, o Starlink foi destaques nos veículos de imprensa no mundo todo quando os testes de velocidade da Ookla (teste global de velocidade de banda larga) demonstraram que a internet provida era muito mais rápida do que as principais opções alternativas via satélite oferecidas pela HughesNet e Viasat nos Estados Unidos (EUA). O provedor registrou um desempenho quase tão bom quanto a banda larga fixa em testes de upload e download, além de também ter sido o único com latência mediana semelhante à da banda larga fixa.

O Ookla ainda apontou que a velocidade média de download do Starlink na América do Norte foi de 97,23 Mbps durante o segundo trimestre de 2021 – “rápida o suficiente para atender à maioria das necessidades da vida online moderna”. A HughesNet, em comparação, ofereceu velocidades de 19,73 Mbps, enquanto a Viasat ofereceu 18,13 Mbps no mesmo período.

Elon Musk é exibido na imagem, usando gravata borboleta preta, paletó preto e camisa branca, em um evento de gala
Elon Musk, o homem que quase nunca cumpre os prazos, afirma que o Starlink sairá da fase beta no próximo mês. Imagem: Kathy Hutchins/Shutterstock

O serviço de Musk, no entanto, não atingiu a velocidade média de download oferecida por todos os provedores de banda larga fixa, cerca de 115,22 Mbps, mas isso não significa que teve uma performance ruim.

A promessa inicial é de que serviço de Internet da Starlink seja vendido diretamente a consumidores em áreas rurais ao redor do mundo, entre outros clientes, com “velocidades de download de 100 Mbps e upload de 20 Mbps”.

Fonte: The Verge

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!