A vacina da Janssen contra a Covid-19 é a única aprovada atualmente que funciona em apenas uma dose, apesar disso, um reforço do imunizante já está sendo estudado e segundo dados divulgados pela farmacêutica nesta terça-feira (21), pode aumentar a proteção contra a doença.

Assim como está ocorrendo com outras vacinas, como a Pfizer, a AstraZeneca e a CoronaVac, a Janssen está tendo uma dose extra analisada, para aumentar o tempo da proteção concedida pela imunização inicial. Para isso, é levado em conta a quantidade de anticorpos presentes depois de um determinado período de tempo.

publicidade

Nova dose da Janssen

Segundo a pesquisa, a dose única da Janssen conseguiu proteção de 70% nos Estados Unidos enquanto que, com o reforço aplicado cerca de dois meses depois da primeira dose, essa proteção saltou para 94%, próxima de outras vacinas de duas doses feitas com mRNA, como a Pfizer e a Moderna.

Além disso, um reforço aplicado seis meses após a primeira dose aumentou os anticorpos em doze vezes. Já os efeitos colaterais foram equivalentes aos da dose única. O estudo foi pré-publicado e ainda precisa passar por revisões.

Com os dados, a Janssen pretende pedir para a Food and Drug Administration (FDA), a agência regulatória dos EUA, para que a dose de reforço da vacina seja adicionada ao calendário de imunização.

Os resultados foram obtidos após um ensaio de fase três usando as duas doses da Jenssen. 30 mil pacientes participaram do estudo e tomaram a segunda dose 56 dias depois da primeira. O acompanhamento foi de 35 dias.

A farmacêutica disse ainda que não há registros de uma queda na eficácia da vacina durante o período do estudo. Uma pesquisa feita com a aplicação em massa da vacina, em 400 mil pessoas nos EUA, mostrou uma taxa de 79% de prevenção contra infecção por Covid-19 e de 81% contra mortes e internações.

Leia mais: