Segundo um novo relatório feito pela Pew Research, cerca de 1/3 dos adultos dos EUA recebem notícias de forma regular do Facebook, por mais que a porcentagem tenha caído de 36% em 2020 para 31% em 2021. A queda reflete um declínio no número dos norte-americanos que dizem receber notícias de qualquer plataforma de rede social.

Ou seja, por definição, “regularmente” significa que os entrevistados informaram que recebem as notícias “frequentemente” ou “às vezes”, isso no lugar de “raramente”, “nunca” ou “não recebo notícias digitais”. A mudança acontece em um momento em que as empresas focadas em tecnologia estão sob pressão por facilitar ou permitir que desinformações se espalhem. 

publicidade

As críticas aumentaram durante a pandemia, ainda mais por conta da hesitação e recusa da vacina, o que contribuiu para piorar os resultados de saúde de muitas pessoas que consumiram as fake news. Além disso, a quantidade de norte-americanos que recebem notícias regularmente de vários sites não mudou muito no ano passado, demonstrando o quanto esse conteúdo se tornou parte do cotidiano.

Além disso, 22% afirmam que recebem notícias regularmente no YouTube, enquanto Twitter e Instagram são fontes regulares de notícias para 13% e 11% das pessoas, respectivamente. Por outro lado, muitos dos sites viram declínios como fonte regular de notícias entre seus próprios usuários, segundo Pew. 

Atualmente, 55% dos usuários do Twitter recebem notícias de sua plataforma, em comparação com 59% em 2020. Ao mesmo tempo, o uso do site para notícias pelos usuários do Reddit reduziu de 42% para 39% em 2021. Já o YouTube caiu de 32% para 30% e o Snapchat de 19% para 16%. O Instagram segue o mesmo, com 28% em 2020 a 27% em 2021.

Apenas uma plataforma de rede social cresceu como fonte de notícias durante esse tempo, que foi TikTok. Em 2020, 22% dos usuários do app disseram que recebiam suas notícias regularmente, em comparação com um aumento de 29% em 2021.

Outra curiosidade é que os adultos brancos tendem a recorrer ao Facebook e ao Reddit para obter notícias (60% e 54%, respectivamente), enquanto os adultos negros e hispânicos representam consumidores regulares de notícias no Instagram (20% e 33%, respectivamente).

Já os adultos mais jovens costumam recorrer ao Snapchat e ao TikTok, enquanto a maioria dos consumidores de notícias no LinkedIn possui diplomas universitários de quatro anos. Ademais, em estudos recentes, a Pew descobriu que os consumidores de notícias de redes sociais tendiam a ter menos conhecimento sobre os fatos sobre tópicos de notícias importantes, como eleições ou Covid-19. 

Leia também:

Fonte: Tech Crunch

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!