Um homem sul-coreano chamado Seong Gi-hun (Lee Jung-jae) cuja vida financeira está em apuros aceita o convite para participar de um jogo com o prêmio bilionário para quem chegar até o final. Além dele, está um grupo de mais de 400 pessoas competindo pelo dinheiro. Porém, ao chegar lá, o protagonista descobre que apenas um sobreviverá. Este é o enredo de ‘Round 6′ (também intitulado como ‘Squid Game’), série sangrenta e sádica de nove episódios que é o mais novo sucesso da Netflix aclamado pela crítica com 100% de aprovação, segundo o site Rotten Tomatoes.

A produção estreou na plataforma de streaming na última semana, no dia 17 de setembro, e já angariou uma legião de fãs nas redes sociais por conta da trama intrigante e, ao mesmo, bizarra. A série com dinâmica semelhante a ‘Jogos Mortais’, ‘Jogos Vorazes’ e ao mangá ‘Battle Royale’, de Koushun Takami, chamou tanto a atenção do público que já se fixou no TOP 10 do serviço durante todo o último final de semana (18 a 19).

publicidade

A sinopse oficial de ‘Round 6’ diz: “Um convite um tanto misterioso chega para pessoas que estão precisando desesperadamente de dinheiro. O objetivo? Convocá-las para um jogo ainda mais misterioso! Os 456 participantes se veem confinados em um lugar secreto para competir uns com os outros em busca do prêmio de 45,6 bilhões de wones. Cada disputa é um jogo infantil tradicional na Coreia, e os perdedores pagam o preço do fracasso com a própria vida. Agora resta saber: quem será o grande vencedor da competição? E quem está por trás desse jogo?”.

Squid Game - Round 6
Gi Hoon (Lee Jung Jae) é o protagonista de ‘Round 6’. Imagem: Netflix/Divulgação

O seriado conta com um elenco já reconhecido no cenário de suspense sul-coreano, inclusive. Além de Jung-jae (‘Livrai-nos do Mal’), há também Park Hae Soo (‘Manual do Presidiário e Tempo de Caça’), Wi Ha-joon (‘Hospital Maldito’), HoYeon Jung, John D. Michaels (‘Invasão Zumbi’), Lee Byung-hun e Heo Sung-Tae. A direção ficou por conta do cineasta local reconhecido pelo gênero, Hwang Dong-hyuk (‘My Father’, ‘Silenced’ e ‘The Fortress). Com nove episódios, a produção tem classificação indicativa de 16 anos.

Além do desespero financeiro, matança organizada/generalizada e sadismo, o que torna ‘Round 6’ tão atraente ao público? Bem, os mecanismos por trás, claro. Como é possível ver no trailer oficial (veja abaixo), durante a competição, os jogadores devem participar de brincadeiras infantis, como “Batatinha Frita”, “1,2,3” e “Cabo de Guerra”. Apesar de parecer simples, as regras devem ser seguidas à risca caso quiserem sobreviver.

A temática envolvendo uma versão brutal de brincadeiras da infância utilizadas para as “dinâmicas de eliminação”, aliadas aos cenários no estilo “jardim de infância”, com tons de cores vibrantes e desenhos, são fatores determinantes para deixar a produção mais aterrorizante. Isso, claro, sem contar o fato de acompanhar mais de 400 adultos, endividados e com famílias esperando do lado de fora, participando.

Squid Game - Round 6
Sangrenta, agonizante e… viciante! Saiba mais de ‘Round 6’. Imagem: Netflix/Divulgação

Em entrevista ao portal de notícias sul-coreano Soompi, o diretor comentou sobre a escolha de jogos infantis como critério de eliminação. Ele acredita que as brincadeiras escolhidas ao longo dos episódios precisavam ser “as mais simples possíveis”, visando o impacto e entendimento não apenas pelo público da Coreia do Sul, mas também pelo internacional. “Eu queria fazer um drama de sobrevivência que fosse o mais coreano, mas também com apelo global”, destacou Hyuk.

“Olhamos para os vencedores em jogos de sobrevivência, é normal. [Na série], porém, olhamos para os perdedores. Sem perdedores, não há vencedores”, continuou o cineasta, que revelou também que a ideia para a trama de ‘Round 6’ surgiu em 2008, quando o próprio estava com dificuldades financeiras. Na época, ele frequentava lojas de quadrinhos, onde se deparou com uma história de pessoas desesperadas e quebradas financeiramente participando de jogos de sobrevivência – sem mencionar o título da obra em questão. A partir daí, começou a pensar no que aconteceria se tais atividades acontecessem na Coreia do Sul e se fosse o único a decidir “quem participaria ou não”.

Squid Game - Round 6
Brincadeiras infantis ditam o tom macabro de ‘Round 6’. Imagem: Netflix/Divulgação

O nome original da produção, ‘Squid Game’, também faz referência às brincadeiras infantis. Ainda conforme o cineasta em entrevista, ele escolheu o título homônimo para referenciar outro jogo infantil coreano que fez parte da infância. Por isso, ele afirmou que o motivo dos jogos de criança serem o foco das competições tem a ver com a percepção mais “violenta e sincera’ de como seria a versão adulta das mesmas dinâmicas.

Às proximidades com ‘Jogos Vorazes’ e ‘Battle Royale’ foram notadas pelos fãs, visto que termos referentes a “quais os materiais de origem de ‘Round 6’ foram alguns dos mais procurados no Google após a ascensão na Netflix. E não é difícil entender o porquê da dúvida, visto que a maioria das histórias que chegam às telas na forma de séries e filmes são algum tipo de adaptação. O jornal Korean Herald questionou o diretor mais de uma vez, que negou veementemente.

De qualquer forma, os nove episódios de ‘Round 6’ estão disponíveis na Netflix. Ficou curioso? Então, confira abaixo o trailer oficial e algumas reações do público que já assistiu a série:

Leia mais:

Fontes: Rotten Tomatoes, Den of Geek, Soompi, Korea Herald e Slate

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!