Alguns pesquisadores estão desenvolvendo uma pílula que, segundo eles, deve tratar a Covid-19. De acordo com o site Futurism, o medicamento pode ficar pronto até o final do ano.

Três tratamentos antivirais para a doença estão atualmente em testes clínicos, de acordo com a rede de notícias NBC. O tratamento com remédios seria uma espécie de regime de pílulas diárias tomadas oralmente logo após o diagnóstico da Covid-19. Os pesquisadores se basearam nos tratamentos de antivirais usados ​​para combater infecções de hepatite C, HIV e influenza.

publicidade
Imagem mostra várias pílulas medicinais despejadas de um frasco de vidro
Imagem: Bohbeh/Shutterstock

Os três medicamentos orais analisados como potenciais tratamentos para o coronavírus são: da Merck & Co. e Ridgeback Biotherapeutics, da Pfizer e da Roche e Atea Pharmaceuticals.

“Acho que teremos respostas sobre o que essas pílulas são capazes nos próximos meses”, disse o diretor da divisão de AIDS do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Carl Diefenbach, à NBC.

Caso os resultados sejam positivos, “a distribuição pode começar rapidamente”, segundo Dieffenbach, se o pedido de uso emergencial for aprovado.

Mas antes de receber aprovação e ser colocado à venda, os cientistas precisam enfrentar uma barreira: encontrar voluntários dispostos a tomarem as pílulas. Isso porque cada ensaio clínico necessita de centenas de participantes que tiveram o teste positivo para Covid-19 dentro de cinco dias. Os pacientes também não podem ser vacinados.

Leia mais:

“De modo geral, há muita desconfiança sobre o processo científico”, disse a Dra. Elizabeth Duke, pesquisadora que supervisionou um dos testes. “Algumas pessoas, inclusive, respondem dizendo coisas desagradáveis ​​para nós.”

Os testes, contudo, estão prestes a serem finalizados e, se o uso emergencial for aprovado, as pílulas poderão estar à disposição ainda no final de 2021.