Nesta segunda-feira (27), o vulcão Cumbre Vieja, na Espanha, começou a expelir cinzas novamente, após uma breve calmaria. Os moradores do local, que fica nas Ilhas Canárias, estão confinados em suas casas por medo dos gases tóxicos resultantes do encontro entre a lava e as águas do mar.

O vulcão, que se estende por uma cordilheira ao sul de La Palma, entrou em erupção no domingo retrasado (19), expelindo rios de lava que lentamente avançaram em direção ao Oceano Atlântico.

publicidade

De acordo com a agência de notícias AFP, a atividade teve uma breve pausa nesta manhã, interrompendo o fluxo de lava, e o estrondo que se ouvia ao longo da última semana tornou-se silêncio. No entanto, algumas horas depois, a fumaça voltou a emergir do topo de Cumbre Vieja.

Amostras das cinzas do vulcão Cumbre Vieja serão analisadas

“Nas últimas horas, o tremor vulcânico quase desapareceu, assim como a atividade explosiva do estrombolismo”, tuitou o Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan), usando o termo científico para uma mistura de explosões e fluxo de lava.

De acordo com o instituto, funcionários coletaram amostras de cinzas no aeroporto de La Palma para estudar sua distribuição espacial e granulometria.

“A população deve seguir as instruções das autoridades e permanecer em casa, com as portas e janelas fechadas”, afirmou Davi Calvo, porta-voz do Instituto ao site Phys. “Atualmente, a lava está entre 800 e mil metros de distância da costa, e se move bem lentamente”. Uma ordem de evacuação que afeta quatro áreas está em vigor nos arredores de Tazacorte, onde se espera que a lava entre no mar. As autoridades também criaram uma zona de exclusão para afastar curiosos.

Leia mais:

Encontro da lava com o mar deverá gerar nuvens de gás tóxico

Especialistas dizem que a entrada de lava na água do mar enviará nuvens de gás tóxico para o ar, causando explosões e uma fragmentação da rocha derretida. “A inalação ou contato com gases e líquidos ácidos pode irritar a pele, os olhos e o trato respiratório e causar dificuldades respiratórias, especialmente em pessoas com doenças respiratórias pré-existentes”, alertou o Involcan.

O vulcão já destruiu mais de 2,5 km de terra, queimando muitas plantações de banana, devorando mais de 500 propriedades e destruindo quase 20 km de estradas, de acordo com o Programa de Observação da Terra Copernicus, da agência espacial europeia (ESA).

No aeroporto de La Palma, onde o tráfego aéreo foi interrompido no sábado por 24 horas devido às cinzas, a companhia aérea local Binter disse que não conseguiu retomar os voos.

“Paramos nossas operações em La Palma novamente depois de tentar fazer um primeiro voo hoje e encontrar condições não seguras o suficiente”, postou no Twitter a companhia aérea, que tem sede nas Ilhas Canárias, dizendo que tentaria novamente na terça-feira (28).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!