Embora de forma mais lenta, as opções e estudos de tratamentos contra a Covid-19 também estão evoluído. De acordo com informações do Medical Xpress, três tipos de terapias já foram comprovadas e aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), alguns medicamentos também estão em testes para ajudar no combate ao vírus.

Tratamento com esteroides

Entre as terapias está uma classe de esteroides chamados corticosteroides. O tratamento é barato e acessível e foi recomendado em setembro de 2020 pela autoridade de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU) para aplicação exclusiva em pacientes em estado grave.

publicidade

O esteroide combate a inflamação que comumente acompanha os casos graves, reduzindo a necessidade de ventilação e a probabilidade de morte.

Com medicamentos de artrite

Em julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também aprovou duas drogas conhecidas para artrite – tocilizumabe e sarilumabe. Ambos os medicamentos suprimem comprovadamente uma reação perigosa do sistema imunológico ao vírus SARS-CoV-2. Elas também reduziram o risco de morte e a necessidade de ventiladores em pacientes internados.

Com anticorpos

Recentemente, também chegou ao mercado recomendado pela OMS o Regeneron, o caro coquetel de anticorpos sintéticos usado no ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante sua infecção.

No entanto, o fármaco tem restrições e só pode ser usado em pacientes com um tipo de saúde específico que não estejam com a forma grave da Covid-19, mas que tenham a probabilidade do seu desenvolvimento. Segundo a organização, o tratamento com anticorpos também pode ser aplicado em pacientes gravemente enfermos que não conseguem montar uma resposta imunológica adequada.

Em maio, a Food and Drug Administration (FDA) autorizou o uso emergencial de outra terapia de anticorpos monoclonais desenvolvida pela GSK (Sotrovimab). Tratamento que, posteriormente, foi classificado pela comissão europeia como um dos cinco procedimentos mais promissores para a doença.

máscara contra a Covid-19
Covid-19: quais tratamentos foram comprovados até agora?. Imagem: Tumisu (Pixabay)

Tratamentos autorizados no Brasil

No Brasil, a Sotrovimab também foi aprovada pela Anvisa para uso emergencial no início de setembro, sendo o quinto tratamento autorizado no país.

De acordo com informações da Agência Brasil, além desse, a Anvisa já havia registrado o Regdanvimabe, da multinacional Celltrion Healthcare e o Rendesivir, fabricado pela empresa Gilead Sciences. Em abril, também foi autorizado o uso de uma associação de outros anticorpos monoclonais, o casirivimabe e imdevimabe, produzida pelas farmacêuticas Regeneron e Roche. E em maio, foi autorizado o uso de uma associação dos anticorpos banlanivimabe e etesevimabe, produzida pela Eli Lilly. 

Tratamentos em testes

Apesar da maioria dos medicamentos antivirais não terem surtido um grande efeito no tratamento conta a Covid-19, diversos laboratórios, como Atea Pharmaceuticals e Roche, estão trabalhando em produtos antivirais ou semelhantes que podem ser tomados por via oral na forma de pílulas.

Um dos mais avançados é o molnupiravir, uma terapia experimental desenvolvida pela Ridgeback Biotherapeutics e Merck que visa impedir a replicação do vírus. Atualmente, o medicamento está na fase3 dos testes e visa não apenas tratar o paciente já infectado com a Covid, mas poderá servir como medida preventiva para casos de contato. Os resultados são esperados até o final do ano.

A fabricante da vacina Pfizer também está desenvolvendo um tratamento com a combinação de duas moléculas como forma alterativa para combate à doença. Na corrida dos tratamentos, a AstraZeneca divulgou no final de agosto resultados preliminares de seu coquetel de anticorpos, afirmando que seu tratamento poderia prevenir a Covid em pacientes frágeis.

A empresa francesa Xenothera também apresentou sua ideia de tratamento. Diferente de todos os tipos mencionados, a companhia trabalha em um tratamento sintético chamado “anticorpos policlonais” baseado em anticorpos suínos que são adaptados ao sistema imunológico humano. A forma de terapia está nos estágios finais dos testes clínicos.

Leia mais!

Quais tratamentos comprovadamente não funcionam?

A hidroxicloroquina, remdesivir, ivermectina e o medicamento anti-HIV lopinavir-ritonavir (Kaletra) provaram ser ineficazes contra a Covid-19, de acordo com vários estudos e ensaios.

A maioria dos medicamentos usados para tratamento e que se mostraram ineficazes foram projetados para tratar outras doenças. Para a especialista em doenças infecciosas Karine Lacombe, isso mostra a necessidade de produzir um novo medicamento com base no que já temos.

“Reposicionar um medicamento é o que você faz em uma emergência no início de uma pandemia”, disse Lacombe, ressaltado que o fato de nenhuma terapia poder ser reaproveitada – além da medicação anti-inflamatória para artrite – mostra o limite desse tipo de abordagem.

Crédito imagem principal: Shutterstok

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!