O algoritmo do TikTok está impulsionando vídeos golpistas que se dizem “médiuns” e exploram a morte trágica da influencer Gabby Petito, de 22 anos. As investigações sobre um possível homicídio seguem em andamento.

Como é comum em casos de grande repercussão, sempre surgem pessoas tentando ganhar dinheiro em cima. Esses golpistas se adaptam sempre a novas redes sociais e o TikTok agora parece ser mais uma dessas.

publicidade

O problema nesse caso é que a plataforma está incentivando esse conteúdo. Segundo o The Next Web, ao digitar “médium” ou “psychic” na barra de pesquisas da rede social, o texto pode ser completado com outras opções buscadas no TikTok, entre esses termos está o nome de Gabby Petito.

Considerando que o TikTok possui quase 1 bilhão de usuários ativos mensais, esse tipo de conteúdo deve atingir um número muito grande de pessoas. Não sabemos como algoritmo da plataforma funciona, mas certamente indicar vídeos populares é uma tendência, o que facilita esse tipo de erro.

Morte de Gabby Petito no TikTok

Outro problema está na presença de “médiuns” que exploram a morte da jovem. Isso tem que ser verificado tanto pela plataforma, quanto pelos usuários, que precisam denunciar esse tipo de conteúdo.

Recentemente, o Insider falou sobre como isso atrapalha as investigações em um artigo. “Muitos médiuns não estão divulgando os fatos do caso de Petito (como os do TikTok), mas alegando ter uma visão de detalhes que ainda não foram descobertos. E mesmo quando suas teorias são infundadas ou provadas serem falsas, eles continuam – ao som de milhões de pontos de vista”, diz um trecho.

Gabby Petito foi encontrada morta no domingo (19). A influenciadora estava desaparecida desde o dia 11, quando saiu para uma viagem com o namorado. Segundo o FBI, a perícia indicou que a jovem foi assassinada. Brian Laundrie, namorado de Gabby, é procurado pelas autoridades, mas não é apontado como suspeito da morte até o momento.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!