Após se declarar inocente na última sexta-feira (24), a diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, firmou um acordo com os EUA que encerra a sua estadia de três anos no Canadá.

Vale lembrar que as autoridades canadenses prenderam Wanzhou em dezembro de 2018 por violar as sanções americanas impostas à companhia chinesa. Desde então, ela permaneceu em prisão domiciliar no país.

publicidade

Meng também foi indiciada por outras acusações, uma delas era de que a Huawei teria roubado propriedade intelectual da companhia norte-americana T-Mobile. Outras treze alegações citavam o seu nome e também de duas subsidiárias da empresa chinesa: a Huawei USA e Skycom.

Por coincidência, a executiva compareceria nesta segunda-feira (27) a uma audiência virtual para entrar com um novo apelo contra as acusações de fraude e violação de sanções internacionais por fazer negócios com o Irã através de uma empresa fantasma.

Leia mais:

No fim, os promotores que cuidam do caso decidiram retirar o pedido de extradição do Canadá e, se a ex-CFO da companhia não cometer nenhum outro crime, as outras acusações também serão arquivadas.

Segundo o Wall Street Journal, funcionários do Departamento de Justiça americano também revisaram as negociações com a Huawei, que haviam fracassado sob a administração do ex-presidente Trump. 

Vale lembrar que o ex-presidente afirmava que a Huawei estaria usando sua infraestrutura para roubar dados estratégicos dos EUA para o governo chinês.

Segundo a declaração de um porta-voz da Huawei, a companhia segue lutando contra essas acusações:

“Estamos ansiosos para ver Meng Wanzhou voltando para casa em segurança para se reunir com sua família. A Huawei continuará a se defender no Tribunal Distrital dos Estados Unidos”, disse o comunicado.

Na tarde deste sábado (25), Meng pousou em Shenzhen, na China. A executiva foi saudada por uma multidão e com mensagens de apoio.

Via: WSJ

Faturamento da Huawei caiu diante das restrições dos EUA

Celulares com a bandeira dos EUA e logo da Huawei
Huawei x EUA. Imagem: Shutterstock/Reprodução

As restrições comerciais impostas pelos Estados Unidos impactaram os lucro da Huawei. A empresa declarou que sua receita no 1.º trimestre caiu 16,5% ano a ano para 152,2 bilhões de yuans (R$ 127 bilhões).

Entretanto, a margem de lucro líquido da Huawei teve um aumento de 16,9 bilhões de yuans (R$ 14,1 bilhões de reais).

Na declaração de ganhos divulgada no fim de abril, o presidente da empresa chinesa, Eric Xu, apontou que 2021 seria um ano desafiador, já que as sanções da administração Trump sufocaram o negócio de smartphones e impediram os avanços na fabricação de chips e redes 5G.

Créditos da imagem principal: Ascannio/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!