A última semana terminou movimentada no mercado das criptomoedas após o anúncio da China de barrar de vez o bitcoin e proibir as transações com ativos digitais. Como era de se esperar, as criptomoedas registraram queda após a decisão — o bitcoin caiu 4,5%, enquanto o ethereum registou queda de 7,5%.

Ainda assim, nesta segunda-feira (27), o segmento mostra um leve sinal de recuperação se comparado a última sexta-feira (24). Na manhã de hoje, o bitcoin era negociado a US$ 48.800, o que, segundo o CoinMarketCap, representa uma alta de 2% nas últimas 24 horas.

publicidade

No Brasil, conforme o IPB (Índice de Preço do Bitcoin), a cotação atual do ativo é de R$ 235 mil. Considerando toda a última semana, o bitcoin enfrenta uma desvalorização calculada em 1,7%.

Ilustração de criptomoedas
Bitcoin ainda enfrenta uma desvalorização de quase 2% frente aos últimos sete dias. Imagem: Wit Olszewski/Shutterstock

Enquanto isso, o ethereum acumula um ganho mais significativo. A criptomoeda registra alta de 4,2%, cotada a US$ 3.100. Por ora, o ativo, o segundo mais valioso depois do bitcoin, diminuiu as suas perdas para 1% perante a semana passada.

Leia mais:

Criptomoeda solana em alta

Quem mais valorizou até então foi a criptomoeda solana, uma rede blockchain com recursos semelhantes ao ethereum. O ativo registrou alta de 10%, valendo US$ 147, o preço mais alto desde a última sexta.

Com a nova cotação, a moeda virtual acumula um ganho expressivo de 62% nos últimos 30 dias — valorização que supera as suas principais concorrentes no mercado de criptoativos.

Fonte: Portal do bitcoin

Ucrânia legalizou o uso do bitcoin

Na contramão da China, o Parlamento ucraniano aprovou uma lei no início de setembro que legaliza e regula o uso do bitcoin no país. Até então, as criptomoedas eram consideradas uma área jurídica “cinzenta”.

Por lá, os cidadãos já podiam comprar e trocar utilizando moedas virtuais, contudo, as empresas e bolsas que negociavam com criptoativos estavam sob vigilância pesada das autoridades.

A nova legislação também chega prometendo proteções contra fraude. Se assinado pelo presidente Volodymyr Zelensky, os ativos virtuais, carteiras digitais e chaves privadas serão termos regularizados perante a lei ucraniana.

Créditos da imagem principal: Alpha Footage/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!