O voto eletrônico pode ter um efeito bem positivo quando o assunto é o aumento da participação eleitoral entre os jovens, de acordo com um estudo da Universidade de Otago. Nisso, o Dr. Whitfield focou em descobrir se as pessoas mais novas se engajariam mais em votar em três opções: se o voto eletrônico estivesse disponível, se o voto fosse obrigatório ou se houvesse uma redução na idade para votar.

Os participantes dizem que um aplicativo que listava informações do candidato e permitia eVoting pode aumentar o interesse em votar e ainda contribuir para o crescimento dos votos de forma efetiva. O Dr. Kyle Whitfield é formado em Administração de Empresas pela Otago Business School e entrevistou jovens de 18 a 24 anos para a sua pesquisa.

publicidade

O número de jovens eleitores na Nova Zelândia é baixo e também não é diferente de outros países. Sendo assim, o problema impede de se ter uma democracia mais saudável. O Dr. Whitfield pensa que o índice baixo de eleitores  entre 18 e 24 anos pode minar o processo político do país.

“A falta de informação, a sensação de que as eleições locais são eleições de ‘segunda ordem’ e a sensação de que os jovens não têm uma influência real no processo político, acabam por produzir essa baixa participação”, complementou.

De acordo com ele, o eVoting atrai os jovens e com isso, pode aumentar a participação deles na hora de votar, tanto que se sentiram divididos sobre o voto obrigatório; indo contra a redução da idade de votar para 16 anos com a justificativa de ser ainda muito cedo.

Além disso, outros pontos da pesquisa revelaram que os jovens sentiam que não estavam recebendo informações de maneira suficiente para tomar decisões. Ou seja, mais de 90% dos participantes sentiram que deveriam ter sido melhores informados sobre os direitos cívicos, enquanto 17 dos contribuintes mencionaram não saber nada sobre política, nem votação ou operações governamentais.

Leia mais:

Fonte: Phys

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!