A Activision Blizzard anunciou na última segunda-feira (28) que chegou a um acordo para resolver o processo da Comissão de Oportunidades de Emprego e Igualdade dos EUA, alegando discriminação de gênero e assédio sexual por parte da empresa. A desenvolvedora de games como ‘Diablo’ e ‘Overwatch’ está criando um fundo de US$ 18 milhões para “compensar e fazer as pazes” com as vítimas em questão.

Os fundos que não forem utilizados ​​serão doados à “várias instituições de caridade que promovem as mulheres na indústria de videogames e buscam melhorar a diversidade, a igualdade e os esforços de inclusão”, de acordo com anúncio oficial da empresa.

publicidade

“Não há lugar em nossa empresa para discriminação, assédio ou tratamento desigual de qualquer tipo, e sou grato às funcionárias que corajosamente compartilharam suas experiências”, disse no comunicado Robert Kotick, novo CEO da Activision Blizzard. “Eu lamento profundamente por qualquer uma que teve que experimentar uma conduta inadequada, e permaneço inabalável em meu compromisso de tornar a empresa um dos locais de trabalho mais inclusivos, respeitados e respeitosos do mundo”.

Funcionários da Activision Blizzard criticam postura da empresa sobre processo de assédio. Imagem: Shutterstock.com
Activision Blizzard oferece 18 milhões de dólares às vítimas após novo processo do governo americano. Imagem: Shutterstock.com

“Continuaremos vigilantes em nosso compromisso com a eliminação do assédio e da discriminação no local de trabalho. Agradecemos à Comissão de Oportunidades de Emprego e Igualdade por seu envolvimento construtivo enquanto trabalhamos para cumprir nossos compromissos de erradicar a conduta inadequada no local de trabalho”, finalizou Kotick.

Em meio ao processo, a Activision Blizzard declarou que nega qualquer delito, mas concordou com o acordo em qualquer caso para evitar qualquer “despesa, distração e possível litígio”. A declaração da desenvolvedora em meio ao processo diz:

“Os réus negam expressamente que tenham submetido qualquer indivíduo ou grupo de indivíduos a assédio sexual, discriminação na gravidez e/ou retaliação relacionada, negam todas as alegações de irregularidades, responsabilidade, danos e direito a outras medidas estabelecidas na Ação, sejam decorrentes do Título VII. No entanto, as Partes reconhecem que, por meio deste Decreto, as Partes podem evitar despesas, distrações e possíveis litígios associados a tal. Uma disputa e, portanto, as Partes desejam resolver todas as questões por meio deste Decreto.”

Leia mais:

O acordo de US$ 18 milhões, no entanto, ainda não está confirmado, visto que está sujeito à aprovação da Justiça.

Mais promessas da Activision Blizzard

Além do pagamento de US$ 18 milhões, a Activision Blizzard disse que está comprometida com os seguintes objetivos:

  • “Atualizar políticas, práticas e treinamento para prevenir e eliminar ainda mais o assédio e a discriminação em seus locais de trabalho, incluindo a implementação de um sistema de avaliação de desempenho expandido com um novo enfoque de igualdade de oportunidades”;
  • “Fornecer supervisão e revisão contínuas dos programas de treinamento da Empresa, políticas de investigação, estrutura disciplinar e conformidade, nomeando um consultor terceirizado para a criação de oportunidades iguais, cujas conclusões serão regularmente relatadas ao nosso Conselho de Administração, bem como à Comissão”

O acordo da Activision Blizzard com a Comissão de Oportunidades de Emprego e Igualdade será válido por três anos a partir do início, ainda sem data definida. Os termos completos do acordo podem ser encontrados no site oficial da desenvolvedora.

O caso contra a Activision Blizzard começou no início de 2021, quando o Departamento de Trabalho e Moradia Justa da Califórnia (DFEH, na sigla em inglês) processou a empresa por assédio sexual e discriminação contra mulheres. O estado atualizou o processo no final de agosto, acusando a empresa de fragmentar evidências relacionadas à investigação.

A Activision Blizzard também está enfrentando várias outras investigações em relação aos mesmos temas. Em meio ao caos judicial, o presidente da empresa, J. Allen Brack, e o nome à frente ‘Overwatch 2’, Chacko Sonny, pediram demissão alegando “busca por novas oportunidades”.

Fontes: Gamespot e Gamerant

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!