Aquilo que os climatologistas e cientistas no geral mais temiam em relação à lava do vulcão espanhol Cumbre Vieja aconteceu: ela chegou ao Oceano Atlântico na noite de terça-feira (28), liberando enormes nuvens de vapor que forçaram os residentes locais fora da zona de evacuação a permanecerem dentro de suas casas.

A lava do vulcão Cumbre Vieja chegou ao mar na ilha canária de La Palma, na Espanha, na área conhecida como praia Los Guirres (ou Praia Nova). Imagem: AP Photo / Saul Santos

Segundo o site Phys, o encontro do magma da rocha com a água do mar se deu às 23h pelo fuso horário local (18h, pelo horário de Brasília).

publicidade

Mesmo que a leitura inicial da qualidade do ar não tenha mostrado nenhum perigo imediato na área, os especialistas alertaram que a chegada da lava ao oceano provavelmente produziria pequenas explosões e liberaria gases tóxicos que poderiam danificar os pulmões das pessoas nos arredores.

As autoridades estabeleceram um perímetro de segurança de 3,5 quilômetros e pediram aos residentes da área mais ampla que permanecessem dentro de casa com as janelas fechadas para evitar a inalação de gases.

Pouco antes de cair de um penhasco no mar em um ponto local conhecido como Los Guirres, a lava rolou pela rodovia costeira, cortando a última estrada na área que liga a ilha de La Palma a vários vilarejos.

Leia mais:

“Esperamos que o canal para o mar que se abriu impeça o fluxo de lava, que se alargou até chegar a 600 metros em um ponto, de continuar a crescer, porque isso causou danos tremendos”, disse Ángel Víctor Torres, presidente do governo regional das Ilhas Canárias, à rádio Cope.

Equipes de limpeza varreram cinzas na capital da ilha, Santa Cruz, enquanto outros pequenos terremotos que atingiram o vulcão por semanas foram registrados por geólogos.

Não se sabe quanto tempo a erupção do vulcão Cumbre Vieja pode durar

As condições meteorológicas favoráveis ​​permitiram que o primeiro voo em cinco dias pousasse no aeroporto de La Palma, um importante destino turístico junto com as ilhas vizinhas das Canárias, apesar de uma enorme nuvem de cinzas que o Instituto Geográfico Nacional da Espanha disse ter alcançado até sete quilômetros de altura.

Laura Garcés, diretora da autoridade de navegação aérea espanhola ENAIRE, disse que não prevê grandes problemas para outros aeroportos do arquipélago por causa das cinzas.

Enquanto a lava se espalhava pela costa, as duas aberturas do vulcão continuavam a expelir ainda mais magma. Especialistas dizem que é impossível determinar quanto tempo durará a erupção. Erupções anteriores no arquipélago chegaram a durar mais de 80 dias.

“Não sabemos quando isso vai acabar”, disse o cientista vulcânico Stavros Meletlidis, do Instituto Geográfico Nacional da Espanha, à emissora estatal TVE. “Vulcões não são amigos das estatísticas”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!