A Apple está enfrentando dificuldades para atender a demanda do novo iPhone 13 ao redor do mundo. De acordo com um relatório publicado nesta quarta-feira (29/9), a linha de produção do smartphone sofreu com atrasos relacionados a incidência de novos casos de Covid-19 em linhas de produção do Vietnã.

De acordo com o documento, as fábricas afetadas pelo coronavírus não são necessariamente responsáveis pela montagem do iPhone 13, mas pela fabricação de componentes que integram o smartphone, como os módulos de câmera, o que teria paralisado a cadeia no início da produção. Como resultado, o prazo de entrega dos dispositivos deve aumentar para consumidores de todo o mundo.

publicidade

O relatório também indica que o atraso deve ser normalizado já no começo de outubro. A Apple não se pronunciou sobre o caso.

Leia mais:

Apple dificulta a reposição de telas do iPhone 13

As primeiras unidades do iPhone 13 chegaram aos consumidores americanos nesta semana. De acordo com usuários, uma vez que o usuário precisa obter uma nova tela, ele provavelmente precisará ir à Apple ou à uma assistência autorizada para consertar o iPhone.  Quando o iPhone 13 recebe uma tela genérica, o funcionamento permanece quase o mesmo, incluindo os sensores de luz ambiente e de proximidade, tudo funciona conforme o esperado com exceção do Face ID que deixa de funcionar.

Após a troca da peça, o iPhone 13 exibirá uma mensagem informando que a tela não é um componente genuíno da Apple, inutilizando o recurso. A alternativa encontrada é transferir alguns chips que fazem a autenticação do dispositivo da tela danificada para o novo componente.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!