Mesmo após apelo da opinião pública, de diversos astrônomos e até de funcionários, para que o nome do telescópio que promete revolucionar a astronomia seja trocado, a Nasa decidiu manter a homenagem ao seu ex-administrador James Webb. Pesam sobre ele acusações de ter cometido crime de homofobia.

De acordo com o site The Byte, o nome do observatório orbital, que vai permitir que os cientistas vejam mais longe no espaço com detalhes sem precedentes, tem gerado muita revolta. 

publicidade
James Edwin Webb, acusado de praticar homofobia, foi administrador da Nasa entre 1961 e 1968 e é homenageado em nome de telescópio espacial. Imagem: Nasa – arquivo

Tudo devido à história preconceituosa do homenageado. James Webb teria permitido que a segurança da agência espacial americana interrogasse funcionários no passado por serem homossexuais.

Ainda assim, a Nasa resolveu bancar a decisão, sob insatisfação dos críticos. “Não encontramos evidências, neste momento, que justifiquem a mudança do nome do Telescópio Espacial James Webb”, afirmou o administrador da Nasa, Bill Nelson, à rádio americana NPR.

Leia mais:

Nasa veta homenagens a racistas, mas parece relevar homofobia

Nelson disse à NPR que a Nasa conduziu uma investigação sobre o histórico de Webb, mas não divulgou muitos detalhes a respeito. 

Fato é que, a despeito de uma petição assinada por mais de 1,2 mil críticos, a agência não voltou atrás. 

“Na melhor das hipóteses, o histórico de Webb é complicado”, afirmou a cosmologista da Universidade de New Hampshire e organizadora da petição, Chanda Prescod-Weinstein. “E, na pior das hipóteses, basicamente estamos enviando para o céu este instrumento incrível com o nome de um homofóbico, na minha opinião”.

O telescópio está em desenvolvimento há anos e muito trabalho foi feito para desenvolver um projeto que, apesar de estar 14 anos atrasado, finalmente está programado para ser lançado em dezembro. Tudo isso pode ter sido considerado para que a Nasa não queira fazer a alteração do nome.

De qualquer forma, soa estranho, tendo em vista que a agência tem sido receptiva nos últimos anos a pedidos de mudança de nomes racistas para vários objetos no espaço – mas, aparentemente, esse compromisso não se estende ao crime de homofobia.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!