A Covid-19 é uma doença especialmente grave em pacientes de câncer que fazem tratamento de quimioterapia. Isso acontece porque, além dos pulmões, o Sars-Cov-2 também ataca o sistema imunológico das pessoas infectadas, que também é atacado pelos medicamentos quimioterápicos.

Para piorar a situação, uma nova pesquisa da Escola de Ciências Médicas da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, descobriu que pacientes com câncer que estavam em tratamento de quimioterapia quando receberam a vacina da Covid-19, tiveram uma resposta imunológica mais baixa.

publicidade

Necessidade de terceira dose

Porém, após a aplicação de uma terceira dose, esses pacientes apresentaram uma melhora na resposta imunológica. Esses resultados corroboram a decisão do Ministério da Saúde do Brasil, que incluiu os imunossuprimidos no grupo prioritário para a dose de reforço.

Seringa com a vacina para a Covid-19
Proteção nos pacientes em quimioterapia foi maior após aplicação de uma dose de reforço. Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Os pesquisadores fizeram a pesquisa para tentar entender qual o nível de proteção das vacinas contra a Covid-19 em pacientes de quimioterapia, especialmente em um momento em que as medidas de restrição estão sendo atenuadas e novas variantes têm surgido e se espalhado pelos países.

A equipe, liderada pelo chefe de oncologia gastrointestinal da UArizona, Rachna Shroff, examinou 53 pacientes do Centro de Câncer em quimioterapia. Eles compararam a resposta imune após a primeira e depois a segunda dose da vacina da Pfizer com as respostas de 50 adultos saudáveis.

Resultados surpreendentes

Após a segunda dose, a maior parte dos pacientes com câncer apresentou alguma resposta imunológica à vacina, o que significa que eles tinham anticorpos contra o Sars-CoV-2. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Nature Medicine.

Os resultados deixaram a professora de imunologia da Faculdade de Medicina de Tucson e membro do Centro de Câncer e do Instituto BIO5, Deepta Bhattacharya, agradavelmente surpresa. Segundo ela, a vacina é pelo menos parcialmente protetora para a maioria das pessoas em quimioterapia.

Menor proteção

Contudo, essa resposta imune foi muito menos do que a apresentada pelos adultos saudáveis, uma menor parte dos pacientes, inclusive, não tiveram nenhuma resposta imune à vacina contra a Covid-19. Essa proteção é especialmente menor quando se trata da variante Delta.

Leia mais:

Vinte desses pacientes voltaram para receber uma dose de reforço, depois disso, a resposta imunológica geral do grupo atingiu níveis próximos ao dos adultos saudáveis após duas doses da mesma vacina da Pfizer. 

Via: Medical Xpress

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!