Na última semana, uma nova polêmica envolvendo os NFTs virou notícia. Dessa vez, um jovem de 17 anos se passou por “artista” e negociou milhares de NFTs (tokens não fungíveis). Além de não entregar o prometido, ele simplesmente desapareceu com o dinheiro das vítimas, um golpe conhecido no mundo das criptomoedas como “puxada de tapete”.

A promessa inicial era de vender oito mil NFTs. As obras em questão, eram bustos detalhados em 3D. Para atrair os colecionadores e interessados no ativo, o “artista” divulgou uma série de imagens falsas através do Discord.

publicidade

Assim que foram lançados na internet, os NFTs começaram a esgotar rapidamente. O que ninguém esperava era receber no lugar das obras uma imagem aleatória com emojis.

Uma das vítimas do caso relatou no Twitter: “Sinto muito por aqueles que caíram nessa cilada. Eu mesmo emiti uma porção [de NFTs], porque a arte parecia boa. Lição aprendida.”

O problema começou quando o canal do Discord e a conta referente ao projeto de NFTs falsos foram desativadas. Por ora, tudo indica que o jovem, que arrecadou US$ 138 mil (mais de R$ 740 mil na cotação atual), dividiu o valor em diversas contas para tentar despistar as autoridades.

No fim, as vítimas se juntaram no Discord para interagir sobre o caso e tentar identificar o culpado. Uma das postagens, inclusive, incentiva que os afetados pelo golpe registrem reclamações no FBI.

Via: Money Times

Leia mais:

Falso NFT foi vendido em leilão por quase R$ 2 mi

Outro caso que chamou a atenção recentemente foi o do NFT falso anunciado no fim de agosto através de um link de leilão hospedado no site do artista Banksy (banksy.co.uk), um grafiteiro britânico.

Atraído pela possibilidade de adquirir um token raro, um colecionador britânico decidiu investir pesado no item: £ 244 mil, o equivalente a cerca de R$ 1.735.580.

Os fundos, pagos na criptomoeda ethereum, foram então transferidos imediatamente ao golpista. A boa notícia é que dias depois o colecionador britânico de NFTs, conhecido como Pranksy, conseguiu receber o valor integral da sua compra de volta.

Créditos da imagem principal: Jirsak/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!