Pro

Demanda por desenvolvedor mobile cresce 600%; veja dicas para entrar no mercado

04/10/21 19h22, atualizada em 04/10/21 20h05
Java, JavaScript, HTML

Imagem: Roman Samborskyi - Shutterstock

O mercado de tecnologia da informação foi um dos menos impactados com a pandemia e, em geral, um dos que conseguiu se reerguer rapidamente. Prova disso é um estudo recente da Revelo, o qual aponta que as contratações nos primeiros meses deste ano já somam 95,6% do total registrado em 2019.

Com o reaquecimento do mercado, algumas áreas específicas da TI também estão despontando em termos de oferta de vagas. Uma delas é a de mobile: programadores de aplicativos, que registrou aumento de 600% na oferta de vagas no primeiro semestre de 2021, na comparação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da GeekHunter.

Demanda por desenvolvedor mobile cresce 600% em 2021. Crédito: Chaosamran_Studio/Shutterstock

A empresa especializada no recrutamento e contratação de profissionais de TI mostra que não apenas as ofertas estão em destaque, mas também os salários que, em alguns casos, chegam até mesmo a ultrapassar a casa dos R$ 10 mil.

“Considerando o histórico, estimamos um crescimento anual entre 10% e 20% na média salarial destes profissionais, considerando a escassez de mão de obra, a concorrência com empresas internacionais e o crescimento das vagas”, afirma Lucas Martins, CTO da GeekHunter. 

A média salarial também teve alta, com maior destaque para os perfis juniores, com até dois anos de experiência, que tiveram 18% de aumento. Para os seniores, acima de seis anos de carreira, foi de 11%. 

Atualmente a média salarial nas categorias CLT e PJ são de R$ 6 mil para o profissional júnior, R$ 7,8 mil para pleno e R$ 10,8 mil para sênior, sendo que há alguns salários de até R$ 25 mil.

Dicas para iniciantes

O profissional desenvolvedor mobile é responsável por criar, testar e implementar softwares para dispositivos móveis. É o que faz Alexandre Santos Costa.

Leia também!

Formado em Gestão de Sistema de Informação, o especialista iniciou seu caminho na programação aos 15 anos, tendo seguido com os aprendizados no mercado de trabalho formal para, em 2014, chegar à função de desenvolvedor mobile.

Costa deu três dicas principais para quem está começando o caminho pela programação:

  • Ter os conhecimentos básicos da computação

“Isso ajuda o profissional a entender melhor como as coisas funcionam e a resolver problemas. Como fazer com que o aplicativo seja fluido para os usuários, inclusive para aqueles que usam versões antigas? Como preparar o código para ser o mais otimizado possível? A base da computação ajuda a pensar nessas soluções”, explica.

  • Começe por tecnologias Cross-Platform

Para Costa, algumas tecnologias que conversam entre si, como Flutter, React Native, Ionic ou Xamarin, as quais permitem desenvolver utilizando linguagens mais gerais como JavaScript, Dart ou C#, são uma boa porta de entrada para quem quer programar para dispositivos móveis.

“Dessa forma, é possível gerar aplicações para iOS e Android sem ter que escrever duas vezes o código”.

Na opinião dele, também é importante conhecer bem as plataformas e um pouco das linguagens especializadas. No caso do sistema operacional iOS, os mais conhecidos são o Objective-C e Swift; já para Android, o Java e o Kotlin.

  • Foco no usuário

Além do conhecimento técnico, Costa afirma que é essencial ter em mente o foco no usuário quando se está desenvolvendo.

“O mais importante é saber que o desenvolvimento de aplicativos requer foco no usuário e o profissional precisa ser proativo, pensar em melhorias constantes do ponto de vista da experiência do usuário e da acessibilidade”, acrescenta Costa.

Mercado de trabalho

Com a pandemia, diversas empresas que não estavam online passaram a digitalizar seus negócios e algumas delas, especialmente no ramo de restaurantes e food service, migraram suas operações para o online e tiveram de contar com aplicativos terceiros para realizar suas entregas, como os mais conhecidos Rappi, iFood e UberEats.

Aos poucos, mais acostumados com a dinâmica dessas aplicações, muitas empresas optaram por desenvolver aplicativos móveis próprios, o que aumentou ainda a demanda por profissionais especializados. É nesse sentido que interessados podem atuar no mercado.

“As empresas estão disputando a atenção das pessoas, buscando atraí-las para essas plataformas mobile, para que assim, consigam aumentar a entrega de valor”, observa Lucas Martins, da GeekHunter.

Por isso a demanda por profissionais com esse enfoque deve aumentar ainda mais nos próximos meses.

Crédio da imagem principal: Roman Samborskyi/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags