Em seu começo, os celulares funcionavam basicamente como telefones sem fio, apenas para fazer ligações. Aos poucos eles começaram a ganhar mais funções e agregar diversos produtos em só um, chegando nesse momento ao melhor de todos: a câmera.

Com tantas opções no mercado, oferecendo tantas soluções para fotos e vídeos, resolvemos te ajudar na escolha do melhor celular com câmera boa do Brasil. A lista conta com smartphones de todos os preços, para qualquer bolso e também separamos os melhores e mais baratos em um cantinho especial.

publicidade

Celular com câmera boa: confira 22 opções

Xiaomi Mi 11 Ultra

Quer Xiaomi e ainda levar a melhor câmera que a marca chinesa pode oferecer em 2021? O Mi 11 Ultra é a sua melhor escolha. O celular tem três lentes na parte traseira, criando um conjunto de câmeras muito competente e capaz de registrar fotos ótimas em qualquer ambiente.

A lente principal tem 50 megapixels, com 48 megapixels nas outras duas. Nelas o trabalho fica dividido entre imagens ultrawide e zoom óptico de cinco vezes, aproximando a fotografia sem a necessidade de caminhar até mais próximo do objeto fotografado.

Xiaomi Mi 11 Ultra
Xiaomi Mi 11 Ultra. Imagem: Divulgação / Xiaomi

Xiaomi Mi 11

Seguindo a lista escolhemos um dos mais recentes celulares da Xiaomi, o Mi 11. Este smartphone chegou ao mercado com tela grande de 6,81 polegadas, corpo em vidro e metal, junto processador Snapdragon 888 e até 12 GB de memória RAM.

O conjunto de câmeras traseiras parece pequeno em quantidade, mas o sensor é grande e faz fotos de 108 megapixels. A quantidade generosa de pixels serve tanto para permitir registros em tamanho grande, quanto para juntar muitos pontos em um só, aumentando assim a quantidade de brilho e detalhes em imagens com resolução menor.

Também é possível fazer fotos em 13 megapixels com lente ultrawide e closes bem próximos, com ajuda do sensor focado apenas para registros macro de 5 megapixels. As selfies podem ter até 20 megapixels.

Xiaomi Mi 10T Pro

Já o Xiaomi Mi 10T Pro entra em um segmento de celular muito potente e competente quando foi lançado, em 2020, mas em 2021 ainda faz bonito quando o assunto é celular com câmera boa.

O aparelho da Xiaomi tem quatro câmeras, sendo a principal com 108 megapixels, e sensor grande para fotos com mais luz. A secundária usa 13 megapixels em fotos ultrawide, que é seguida de mais uma, com 5 megapixels para macro.

As selfies podem ter até 20 megapixels, perfeito para muitas redes sociais.

Apple iPhone 12 Pro Max

O smartphone mais potente e competente da Apple para 2020 e o primeiro trimestre de 2021 é o iPhone 12 Pro Max. Neste modelo a Apple continua com o melhor e mais potente processador de todos os celulares, permite até 512 GB de memória e a tela OLED é um deleite para qualquer usuário.

Na parte traseira ficam três câmeras e todas com 12 megapixels, para fotos normais, ultrawide e com zoom óptico de até 2,5 vezes. Por mais que a resolução não pareça grande coisa, a fotografia computacional utilizada pela Apple garante basicamente as melhores fotos possíveis para qualquer celular, seja de noite, de dia ou mesmo debaixo de chuva.

Resultados tão impressionantes assim significam preço elevado. O iPhone 12 Pro Max é o celular com melhor câmera desta lista, mas também é o mais caro dela.

Apple iPhone 11 Pro Max

Se você concorda comigo que a Apple tem as melhores câmeras do mercado, mas não tem tanto dinheiro assim para investir em um celular com câmera boa, é melhor olhar para gerações anteriores. O iPhone 11 Pro Max foi lançado em 2019 e mesmo sendo mais antigo, não faz feio nas fotos. Ele utiliza as mesmas três câmeras do iPhone 12 Pro Max, garantindo resultados muito semelhantes.

Você consegue fotos de 12 megapixels em qualquer situação, com ajuda da mesma fotografia computacional garantindo HDR belo, fotos noturnas ótimas e tudo isso com um preço mais econômico para o bolso. As selfies também utilizam 12 megapixels com resultados muito próximos das imagens captadas pelo conjunto traseiro.

pessoa segurando o celular apple iphone 11 pro max
Apple iPhone 11 Pro Max. Imagem: NYC Russ / Shutterstock

Samsung Galaxy S21 Ultra

Ok, você prefere realmente continuar no mundo Android e quer as melhores fotos, com muitas opções na hora de registrar o momento. Se você curte a Samsung, o Galaxy S21 Ultra é a melhor escolha.

Por aqui são quatro câmeras na parte traseira, com o sensor principal fazendo imagens de até 108 megapixels, seguindo basicamente a mesma ideia do Mi 11: fotos podem ter tudo isso em resolução, ou então agrupam quatro pontos em um só para imagens muito melhores em luz, detalhes e informações com 27 megapixels.

As outras câmeras fazem fotos de 10 megapixels para zoom óptico de 10 vezes, ou então a mesma resolução para zoom de até três vezes. Outra lente cuida de imagens ultrawide com 12 megapixels. Os resultados dessas fotos são incríveis, de verdade.

Samsung Galaxy Note 20 Ultra

Mantendo o olhar nos celulares com câmera boa da Samsung, mas em uma geração anterior e seguindo a mesma ideia de economizar uns trocados com essa atitude, temos o Galaxy Note 20 Ultra. Ele foi lançado um ano antes do Galaxy S21 Ultra, mas não perde em fotos em quase momento algum.

Por aqui o mesmo sensor de 108 megapixels faz o mesmo ótimo trabalho, com zoom óptico de cinco vezes em 12 megapixels na câmera secundária, ou outros 12 megapixels para ultrawide. A fotografia computacional está presente por aqui, então fique tranquilo que os registros tendem a sair ótimos em praticamente qualquer condição: sol, chuva, neve e tantos outros.

Samsung Galaxy S20

Fechando os modelos topo de linha da Samsung, o Galaxy S20 é uma escolha muito importante para quem quer resultados próximos do Note 20 Ultra, mas não está disposto a gastar tanto assim. O Galaxy S20 também tem três câmeras, mas com sensores menores que o modelo anterior.

Por aqui a câmera principal tem 12 megapixels, com 64 megapixels para a lente secundária que também faz zoom óptico de até três vezes. O último sensor repete os 12 megapixels, mas para imagens ultrawide.

As selfies utilizam 10 megapixels e fazem muito bem o trabalho de retratos para redes sociais.

celulares da samsung modelo galaxy s20
Celulares da linha Galaxy S20 Imagem: Framesira / Shutterstock

Asus Zenfone 7

Começando a fechar o pacote de celulares topo de linha, o Zenfone 7 é um representante da marca taiwanesa que faz bonito em fotos. Mesmo lançado em 2020, ele ainda consegue utilizar bem o mecanismo que faz as câmeras traseiras virarem para frente para realizar imagens de melhor qualidade.

Por conta desse detalhe, o celular tem três câmeras e elas são divididas em um sensor de 64 megapixels, seguido de outro com 8 megapixels para zoom óptico de três vezes, junto do terceiro com câmera de 12 megapixels e foco nas capturas ultrawide.

As selfies são feitas pelos mesmos sensores, então essa é uma forma inteligente de ter maior qualidade de imagem nesse momento.

Motorola Edge Plus

Seguindo a ideia de celulares com menos câmeras, mas sensores maiores e com resultados melhores, a Motorola escolheu três lentes para a parte traseira. O aparelho é um topo de linha de 2020 também competente neste momento e faz bonito até mesmo quando o assunto é processamento de jogos, redes sociais e tantos apps.

Atrás, as câmeras fazem fotos de 108 megapixels, ou então com outra câmera capaz de registrar imagens em até 8 megapixels para zoom óptico de três vezes. O terceiro componente deste conjunto registra imagens com 16 megapixels para fotos ultrawide.

LG Velvet 

A LG já saiu do mercado de celulares, mas ainda é possível encontrar alguns modelos no mercado. O Velvet foi um dos últimos lançados pela empresa coreana, equipado com um conjunto triplo de câmeras na parte traseira.

A câmera principal tem 48 megapixels, acompanhada de uma lente secundária com 8 megapixels, junto de 5 megapixels apenas para calcular a distância do objeto fotografado – para o modo de fundo desfocado. As selfies são feitas com um sensor de 16 megapixels, escondido em um entalhe na tela.

Xiaomi Redmi Note 8 Pro

Voltando para a Xiaomi, mas agora em um mercado de celulares intermediários, temos o Redmi Note 8 Pro. Eu sei, ele é um celular de 2019, mas ainda agora faz um trabalho interessante em fotos.

O aparelho utiliza um conjunto quádruplo de câmeras traseiras, sendo a principal com 64 megapixels, seguida de uma câmera secundária com 8 megapixels e mais duas de dois megapixels apenas para macro e calcular o fundo, para imagens com essa parte desfocada.

Já as selfies utilizam 20 megapixels, resolução grande o suficiente para qualquer rede social ou mensageiro não botar defeito.

Redmi Note 9S 

Ainda nos modelos da Redmi, divisão mais econômica da Xiaomi, o Note 9S se destaca ao entregar quatro câmeras na parte traseira. A principal faz imagens de até 48 megapixels, seguida de uma lente secundária com 8 megapixels para ultrawide e 5 megapixels para macro.

Assim como boa parte dessa lista, o Redmi Note 9S também é capaz de desfocar o fundo e para isso ele utiliza a última câmera de seu conjunto, com 2 megapixels para medir a distância do objeto fotografado.

Motorola Moto G100

Voltando para a Motorola, a empresa resolveu que o Moto G poderia encostar no mercado de aparelhos topo de linha com o Moto G100. Isso ficou claro nas capacidades do processador e tantos outros pontos do celular, assim como para suas câmeras.

Por aqui o celular utiliza 64 megapixels em sua lente principal, seguido de uma câmera ultrawide de 16 megapixels e mais uma para fotos com fundo desfocado, com dois megapixels.

Todo esse conjunto consegue filmar em até 6K e as selfies são feitas com duas câmeras, uma com 16 megapixels e outra com a metade dessa resolução – para retratos com mais do fundo aparecendo, em ultrawide.

Motorola Moto G100
Imagem: Divulgação

Apple iPhone SE

Quem diria, a Apple tem um intermediário! Este aparelho é o iPhone SE, lançado faz algum tempo, mas atualizado em 2020 para uma versão mais competente. Ele herda o corpo do iPhone 6S e isso significa a época de smartphone da empresa da maçã com uma câmera na traseira.

Este sensor solitário faz ótimas fotos de até 12 megapixels, filma em 4K e tira proveito de muita fotografia computacional para melhorar os resultados obtidos pelo sensor. Eles são ótimos para esse segmento, mesmo resultado garantido pela câmera frontal de 7 megapixels.

Realme 7

Voltando os olhos para marcas chinesas com bons produtos, o Realme 7 pode ser uma ótima escolha para quem procura um celular com câmera boa. O aparelho utiliza quatro sensores na parte traseira e o principal deles faz fotos em 48 megapixels, com abertura de lente em f/1.8.

Já a câmera secundária cuida de imagens em ultrawide, com 8 megapixels apenas para esse tipo de registro. O smartphone ainda tira proveito de dois outros sensores de dois megapixels cada, para fotos macro e também nos momentos em que o fundo deve estar desfocado.

Samsung Galaxy A72

Colocando a lista dos intermediários da Samsung, encontramos o Galaxy A72. O aparelho tem tela grande, bordas finas e um conjunto com quatro câmeras na parte traseira. A lente principal faz fotos de até 64 megapixels, mas também naquele esquema de juntar quatro ou mais pixels em um só para melhorar a qualidade da foto.

A câmera secundária tem 12 megapixels para ultrawide, com 8 megapixels em outro sensor apenas para zoom óptico de três vezes. A última lente foi escolhida pela Samsung para macro e faz esse trabalho com 5 megapixels.

Motorola Moto G8 Plus

A linha Moto G é a queridinha do brasileiro e o G8 Plus não é dos mais recentes, mas nem por isso fica de fora da nossa lista. O celular tem três câmeras, sendo a principal com 48 megapixels e componentes bons o suficiente para fotos interessantes, mesmo em locais mais escuros.

A câmera secundária faz imagens em 16 megapixels em ultrawide, com a última apenas para calcular a distância em fotos com fundo desfocado, operando 5 megapixels para essa função.

LG K41s

A LG já não fabrica mais celulares, mas ainda existem alguns modelos no mercado e um deles é o intermediário mais simples, o K41s. Este modelo foi um dos representantes dessa linha com quatro câmeras na parte traseira, com a principal fazendo fotos de 13 megapixels.

A lente secundária registra os momentos de ultrawide com 5 megapixels, enquanto trabalha com outros dois sensores de 2 megapixels para fotos macro e com fundo desfocado. Neste aparelho as selfies podem ter 8 megapixels.

Samsung Galaxy A51

Mais simples e antigo que o A72, o Galaxy A51 pode ser uma boa pedida para quem quer um intermediário menos potente e mais barato. Ele oferece quatro câmeras na parte traseira, sendo a principal com resolução de 48 megapixels.

A lente secundária faz imagens em 12 megapixels para ultrawide, enquanto as duas outras câmeras contam com 5 megapixels e focam em registros macro e de fundo desfocado. As selfies podem ser feitas com o sensor frontal de 32 megapixels.

Samsung Galaxy A51
Imagem: Samsung / Divulgação

Samsung Galaxy A21s

Descendo ainda mais o caminho do preço, o Galaxy A21s é um dos modelos mais baratos dessa lista. Ele também utiliza quatro câmeras na parte traseira, com a principal delas fazendo fotos de até 48 megapixels. A lente secundária faz imagens com 8 megapixels em ultrawide.

As duas outras câmeras utilizam dois megapixels para fotos macro e com fundo desfocado, enquanto as selfies são registradas com resolução de 13 megapixels pelo sensor frontal, dentro da área da tela.

Samsung Galaxy A11

Fechando a lista temos o modelo mais barato, mais econômico e simples com o Galaxy A11. Ele é um celular de entrada da Samsung, com três câmeras na parte traseira e o sensor principal deste conjunto tem 13 megapixels. O secundário faz imagens ultrawide com 5 megapixels.

Já a última câmera é responsável apenas por medir a distância do objeto fotografado, para fazer o fundo desfocado no modo retrato. Na parte da frente você faz selfies com 8 megapixels.

Qual celular com câmera boa é barato?

Essa é uma pergunta complicada, já que cada pessoa tem um orçamento para entender como “barato”. Mas, vou criar a seguinte lista de celulares com câmera boa, colocando em uma escala do mais barato até aquele com um preço médio.

  • Galaxy A11 (cerca de R$ 900)
  • Galaxy A21s (cerca de R$ 1.200) 
  • Moto G8 Plus (cerca de R$ 2.200)
  • Redmi Note 9S (cerca de R$ 1.400)

Em todos estes celulares você consegue fotos com fundo desfocado sem precisar apenas do software para esse trabalho, já que uma lente secundária faz o trabalho de verdade na hora de medir a distância até o objeto fotografado. O Galaxy A11 já entrega fotos bacanas de dia e com muita luz, mas sofre se o registro acontece de noite.

O Moto G8 Plus já começa a lidar melhor com essa situação de baixa luz, enquanto o Redmi Note 9S é o melhor de todos na maior parte das situações, mas também é o que cobra mais destes quatro modelos.

Xiaomi Redmi Note 9S
Xiaomi Redmi Note 9S. Imagem: Xiaomi / Divulgação

As principais dicas para escolher um celular com câmera boa

Tenha atenção aos megapixels

Nós bem sabemos que ter mais megapixels não significa automaticamente maior qualidade nas fotos, mas hoje em dia as fabricantes conseguiram colocar um número enorme neste detalhe e ainda assim registrar boas fotos.

Para isso acontecer, todas as marcas com câmeras utilizando muitos megapixels (quando o número é maior que 12) fazem os registros unindo alguns pontos em um só. Essa ferramenta faz com que a quantidade de luz registrada por cada detalhe da foto seja maior, aumentando também a nitidez da foto final.

Registro do olho humano com 576MP
Perceba os detalhes nas sobrancelhas, cílios, íris e pele nesta imagem com 576 MP. Imagem: Suraj Kailase / Shutterstock

A fotografia computacional também ajuda muito no final, quando você vê a foto feita pela câmera. Esse recurso não é chamado de inteligência artificial, mas segue mais ou menos a mesma ideia: o programa responsável por controlar o sensor sabe identificar muitos aspectos da imagem e faz ajustes rápidos, com objetivo de melhorar o resultado final.

Sempre funciona muito bem e este tipo de “firula” pode até compensar uma câmera de qualidade inferior, mas exige processador parrudo para lidar com o trabalho extra a cada clique. Por isso a fotografia computacional só é encontrada em celulares mais caros, potentes e robustos.

Escolha modelos com zoom potentes

Você deve ter passado o olho na lista e notou que alguns celulares contam com zoom óptico, né? Este dado é importantíssimo, pois apenas ele faz a aproximação da imagem sem perder qualidade em momento algum.

Desconfie quando o zoom marcado pela fabricante for maior que a quantidade de vezes que a lente dele faz. Quando isso acontece, a imagem realmente fica mais aproximada de objetos distantes, mas a técnica aplicada só estica cada pixel da foto, perdendo a qualidade final.

Este método é chamado de zoom digital e quanto mais ele é utilizado, pior fica a imagem. Mais detalhes são perdidos e mais definição é deixada de lado em detrimento de uma aproximação que não utiliza nenhum mecanismo das próprias lentes.

Neste momento os celulares conseguem fazer zoom óptico de até 10 vezes, já que quanto maior esse número, maior tem que ser a lente e um smartphone não quer ser muito grosso, né?

Leia também:

Atenção quanto à abertura 

A abertura de uma lente é um dos três pilares da luminosidade e qualidade da foto, dividindo espaço com o ISO e a velocidade do obturador. Esse dado representa duas coisas distintas, sendo que a primeira é importantíssima em muitos momentos: luz.

A abertura é medida em um número como f/2,0. Quanto menor o dígito, mais luz vai entrar em qualquer foto feita pela câmera do celular, informação muito importante para quem quer registrar algum momento em local pouco iluminado, ou de noite.

Quando este número é menor, também existe a possibilidade de embaçar o fundo sem necessariamente utilizar uma câmera secundária apenas para medir a distância. As fotos acabam com um toque mais artístico, mas ao mesmo tempo podem não mostrar o ambiente com tantos detalhes.

Conclusão

Não é difícil encontrar um celular com câmera boa no mercado, temos ótimos exemplos em todas as faixas de preço. É importante ter em mente que o número de câmeras na traseira do aparelho não significa fotos melhores nem mesmo mais opções na hora de fotografar, pois alguns modelos (geralmente os mais baratos) utilizam uma delas apenas para medir a distância – você não usa de fato, quem faz uso dela é o sistema operacional.

Também é importante ficar de olho na abertura da lente para fotos melhores de noite ou em locais fechados e pouco iluminados, ao mesmo tempo que você pode escolher um celular com zoom óptico para registros sem precisar se aproximar do que quer fotografar.

Eu sempre escolho meu celular com três câmeras para funções distintas e sem uma quantidade absurda de megapixels. Com um toque de fotografia computacional o resultado tende a ser impressionante em praticamente qualquer situação. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!