A Lufthansa anunciou nesta segunda-feira (4) que vai construir sua primeira fábrica de e-querosene, que é a primeira do mundo.

E o que vem a ser isso? É um combustível sintético similar à querosene de aviação, mas produzido a partir de processos químicos movidos a eletricidade. Assim, apesar de ser combustível líquido, é neutro em carbono (se a matriz energética assim for).

publicidade

A fábrica vai ser construída em Emsland, noroeste da Alemanha, e promete, segundo a companhia, entregar avanços significativos para a indústria aeroespacial.

Aviões incluídos no fim do combustível fóssil

Nos últimos anos, companhias aéreas vêm desenvolvendo sistemas alternativos de alimentação e propulsão para tornar a aviação menos poluente. A Boeing, por exemplo, se comprometeu, até 2030, a produzir aeronaves que voem com 100% de SAF (combustíveis de aviação sustentáveis, na sigla inglesa). Estes carburantes incluem principalmente biocombustíveis de origem vegetal, como algas ou óleo de cozinha.

Até então, a Lufthansa trilhava o mesmo caminho, justamente porque o e-querosene só estava disponível em pequenas amostras de laboratório. Agora, com a inauguração da planta de Emsland, a empresa abre um novo caminho na busca do setor por combustíveis sustentáveis.

A Lufthansa garantiu a compra de 25 mil litros de e-querosene por ano, durante um período de 60 meses. Para a remessa das primeiras quantidades, a companhia firmou uma parceria com a marca de logística Kuehne + Nagel.

Leia mais:

Do que é feito o e-querosene?

O querosene sintético é feito de água, CO2 e eletricidade – renovável. Isso, porém, tem uma limitação: a geração de energia elétrica na Europa ainda depende de fontes fósseis, como gás e carvão. Por conta disso, o processo de produção de combustíveis movidos a eletricidade — os chamados PtL (“power to liquid”, em inglês) – para ser neutro para valer, exige uma rede elétrica também limpa. Isso pode aumentar o custo.

Ainda assim, no início deste ano, a KLM e a Shell realizaram o primeiro voo com uma aeronave movida a e-querosene. O Boeing 737-800 viajou de Madri, na Espanha, a Amsterdã, nos Países Baixos.

O futuro da planta de Emsland levará, talvez, a mais plantas de querosene elétrica em outras partes do mundo. Por enquanto, um grande passo para a produção de PtL na Alemanha foi dado.

Via Auto Evolution

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!