Após registrar perdas milionárias nos últimos anos, a empresa de pesquisas DeepMind, que possui um dos principais laboratórios de inteligência artificial (IA) do mundo, registrou lucro pela primeira vez. A quantia obtida em 2020 foi de US$ 59,6 milhões (cerca de R$ 328 milhões na cotação atual).

Conforme os resultados anuais da companhia sediada em Londres, o volume de negócios também triplicou: saltando de US$ 362 milhões em 2019 para US$ 1,1 bilhão em 2020.

publicidade

De propriedade da Alphabet (dona do Google), a DeepMind não forneceu um motivo específico para o resultado positivo.

Vale ressaltar que, diferentemente do Google, a empresa não opera vendendo produtos ao consumidor final. A DeepMind fornece softwares e serviços para outras empresas da Alphabet, incluindo o próprio Google e o YouTube, por exemplo.

Leia mais:

Um porta-voz da DeepMind celebrou o resultado, declarando que a empresa alimenta “produtos e infraestrutura que enriquecem a vida de bilhões por meio das muitas colaborações nas quais trabalha na Alphabet ao longo dos anos”.

Fundada em 2010, a DeepMind nasceu com o objetivo de trabalhar em pesquisa e desenvolvimento de máquinas de inteligência artificial. Em 2014, a companhia foi adquirida pela Alphabet (que na época era apenas o Google) por uma quantia não revelada, mas estimada em US$ 500 milhões.

A empresa ficou conhecida mundialmente em 2016, quando o seu programa AlphaGo ganhou manchetes ao vencer o sul-coreano Lee Sedol, campeão mundial de Go – jogo de estratégia tradicionalmente chinês, mas que também é amplamente popular no leste asiático.

O feito fez com que o AlphaGo se tornasse o primeiro programa de inteligência artificial a derrotar um jogador profissional humano em Go.

Receita de publicidade da Alphabet também cresceu

Logo da Alphabet exibido em smartphone
Alphabet superou as expectativas de lucro no segundo trimestre. Imagem: nikkimeel/Shutterstock

A Alphabet também superou as expectativas de analistas de mercado ao obter um crescimento expressivo em receita de publicidade no segundo trimestre deste ano.

A receita total de anúncios do Google aumentou para US$ 50,44 bilhões, crescimento de 69% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Enquanto isso, a receita do YouTube ultrapassou a quantia de US$ 7 bilhões, aumento de 83% em relação ao segundo trimestre de 2020.

De acordo com a empresa, os ganhos foram impulsionados também em virtude da recuperação gradual do mercado com o avanço da vacinação contra Covid-19.

Créditos da imagem principal: Fenixx666/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!