Os semáforos mal cronometrados perdem minutos preciosos e causam poluição. Pensando em resolver os dois problemas, a diretora de sustentabilidade do Google, Kate Brandt, mostrou em um evento que a inteligência artificial (IA) pode resolver esse problema que acaba afetando o meio ambiente e a saúde pública. 

A empresa lançou uma série de produtos e atualizações focados na sustentabilidade que possuem como objetivo auxiliar os usuários a tomarem decisões ecologicamente corretas. Além disso, o Google está trabalhando em um projeto que pretende usar da tecnologia para tornar os semáforos mais eficientes e diminuir a poluição em geral. 

publicidade

Quando o seu veículo para em um cruzamento, o tempo de marcha lenta ( ou meia marcha) leva ao desperdício de combustível e “mais poluição do ar no nível das ruas”, explicou Brandt. Então, o novo projeto do Google usaria a inteligência artificial para medir e calcular as condições de tráfego e o tempo nas interseções de uma cidade, para depois, cronometrá-los com mais eficiência. 

De acordo com Brandt, um dos grupos de pesquisa de inteligência artificial da empresa foi capaz de calcular e coletar esses dados com precisão e treinar um modelo para otimizar cruzamentos ineficientes. 

Leia mais:

Até o momento, o Google realizou pilotos em quatro locais em Israel, em parceria com os municípios de Haifa, Beer-Sheva e a Companhia Nacional de Estradas de Israel. A empresa observou uma “redução de 10 a 20 por cento no combustível e no tempo de atraso na interseção” até agora. 

O Google não compartilhou nenhum detalhe sobre o tráfego médio diário nesses cruzamentos e também não explicou como a inteligência artificial funcionaria com os sistemas atuais e as luzes em cruzamentos específicos.

“Com base nesses resultados promissores, agora estamos iniciando novos pilotos no Rio de Janeiro e conversando com outras cidades ao redor do globo”, explicou Brandt. Isso é um passo na direção para ter cidades totalmente inteligentes nas quais a indústria vem trabalhando para acontecer há anos. 

A ideia de deixar que a inteligência artificial decida quando permitir que os veículos parem ou andem pode parecer soar arriscada no começo, mas o objetivo é melhorar a eficiência. Com os testes mais rigorosos e as medidas de segurança, podem ser capazes de reduzir uma boa quantidade de combustível e poluição causada pelo escapamento.

Fonte: Engadget

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!