A Xiaomi anunciou que vendeu mais de 2 milhões de smartphones durante os 5 dias de festividades da Índia conhecido como Grande Festival de Compras, uma espécie de Black Friday prolongada do país.

De acordo com a Xiaomi, ao todo, as vendas no segmento premium apresentaram aumento de 10 vezes em comparação com o ano anterior. Resultado que só foi possível graças às reduções nas taxas dos aparelhos.

publicidade

Recentemente a Xiaomi lançou a nova linha Xiaomi Lite 5G NE exclusivamente no país. O aparelho é vendido por cerca de ₹$2.349 (R$1.732) na Amazon. Outro aparelho que figurou entre os mais vendidos foi o Xioami Mi 11 X que também teve redução nos preços, sendo vendido por ₹$ 19.499 (R$1.437).

Além disso, a empresa também teve ótimas vendas no segmento intermediário. De acordo com o diretor de negócios da Xiaomi Índia, Raghu Reddy, aparelhos como o Redmi Note 10S, Redmi Note 10 Pro e Redmi 9 tiveram um papel importante para que a empresa atingisse a marca de 2 milhões de vendas.

“Estamos extremamente orgulhosos de ver a quantidade de amor, apreço e resposta que nossos fãs e consumidores continuam a nos mostrar. Alcançar esses marcos nos ajuda a ultrapassar os limites da inovação tecnológica e elevar a experiência do consumidor no smartphone com cada produto ”, acrescentou.

Leia mais:

Xiaomi atingiu recorde de vendas em 2021

No segundo trimestre de 2021, a  Xiaomi atingiu a marca de maior vendedora de smartphones do mundo. De acordo com os resultados apresentados pela empresa, o aumento do seu lucro no período foi de 84,4% em relação ao ano anterior. As datas coincidem com a marca atingida de maior fabricante de smartphones da Europa, quando superou a Apple e a Samsung em números de aparelhos vendidos.

De acordo com a Xiaomi, a receita do trimestre foi de US$ 13,5 bilhões (aproximadamente R$ 70 bilhões), o que representa 64% a mais que a receita do ano passado. O lucro líquido, por sua vez, foi proporcionalmente maior: US$ 1,28 bilhão (R$ 6,68 bilhões), o que representa um aumento de 87,4% em relação ao segundo trimestre de 2020.

Apesar dos bons resultados, a fabricante deve enfrentar dificuldades para manter a liderança em vendas no segundo semestre em decorrência da chegada de smartphones como os novos Galaxy Z Fold3 e Z Flip3, além dos novos aparelhos iPhone 13 da Apple que devem diversificar as opções para usuarios premium.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!