A série ‘Round 6’ é um sucesso mundial. Mas a produção sul-coreana original Netflix liga um alerta naqueles responsáveis por crianças. Preocupados com os riscos que o seriado pode provocar no público infanto-juvenil, uma escola do Rio de Janeiro enviou uma carta aos pais dos alunos, pedindo cuidado.

O comunicado aos pais foi escrito por professores e viralizou em grupos de WhatsApp nesta quarta-feira (6). Por mais que ‘Round 6’ tenha classificação indicativa 16 anos, o colégio observou que estudantes de 7 e 8 anos relataram que assistiram à série junto com os responsáveis. O fato assustou os pedagogos.

publicidade

Leia mais:

A carta listou que ‘Round 6’ tem cenas de suicídio, tráfico de órgãos, tortura psicológica, violência explícita, pederastia, cenas de sexo e palavrões. De fato, a série conta com tudo isso na trama, sendo completamente inapropriada para crianças. Os professores presenciaram as crianças brincando de “Batatinha frita 1, 2, 3” e depois fazendo gestos como se estivessem matando os outros.

Pediatras e outros profissionais de saúde destacaram o apoio à carta da escola. A alusão de ‘Round 6’ a brincadeiras infantis pode atrair o público mais jovem e causar danos psicológicos aos pequenos. Em entrevista ao jornal O Globo, a presidente da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro, Katia Telles Nogueira explicou que a recomendação muda quando os jovens chegam à adolescência, por volta dos 12 anos.

Para esse público não pode haver uma proibição, afinal é algo mais complexo com essa idade. Assim, os pais podem assistir à série criada por Hwang Dong-hyuk junto aos filhos adolescentes que ainda não tem a faixa etária recomendada e promover conversas críticas.

Round 6 - Netflix
Brincadeira “Batatinha Frita 1, 2, 3” usa uma boneca. Imagem: Netflix/Divulgação

A carta emitida pela escola infantil foi publicada na íntegra pelo jornal O Globo. Confira:

“CARTA ABERTA AOS PAIS E RESPONSÁVEIS
Prezados,
A parceria entre escola, família e sociedade é fundamental para o sucesso da Educação. Sendo assim, nosso objetivo com esta carta é alertar aos responsáveis sobre algo que temos escutado durantes os dias com nossos alunos e tem nos chamado atenção.
No dia 17 de setembro de 2021, foi lançada na NETFLIX a série ‘ROUND 6’. A série coreana, com classificação etária de 16 anos, está batendo os ‘records’ de audiência, inclusive nas redes sociais como: Facebook, Instagram e Tik Tok.
O conteúdo da série que contém: violência explícita, tortura psicológica, suicídio, tráfico de órgãos, cenas de sexo, pederastia, palavras de baixo calão entre outras coisas tem sido assunto entre nossos alunos durante o recreio e horários livres.
A série, utiliza-se de brincadeiras simples de criança como: ‘Batatinha frita 1,2,3’, ‘Cabo de guerra’, ‘Bolas de gude’ e outras, para assassinar a ‘sangue frio’ as pessoas que não atingem o objetivo final. O que nos causa preocupação é a facilidade com que as crianças acessam esse material.
Lembramos, apenas para informação, que canais de Streaming como a NETFLIX e outros possuem a ‘Restrição de visualização por classificação etária’, uma ferramenta preciosa para que nossas crianças acessem somente o conteúdo apropriado à sua idade.
Sabemos que é responsabilidade da família decidir o que é melhor para suas crianças, mas enquanto educadores temos o dever de alertar e honrar o compromisso com a Educação. Certos de sua compreensão, nos colocamos a disposição para qualquer esclarecimento que se faça necessário.
Atenciosamente, Direção”

A série ‘Round 6’ chegou à plataforma de streaming Netflix no dia 17 de setembro, com nove episódios. Ela conta a história de pessoas desesperadas, que aceitam participar de brincadeiras misteriosas em troca de um prêmio em dinheiro no valor de 45 bilhões de wons, o equivalente a R$ 208,5 milhões.

No final de setembro, a Netflix divulgou a lista completa de filmes, séries e programas originais mais assistidos da plataforma durante uma apresentação, no evento Code Conference 2021. Ted Sarandos, co-CEO e diretor de conteúdo do serviço afirmou que a série sul-coreana pode se tornar a produção original mais vista do serviço, entre filmes e séries.

Via: O Globo

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!