Agora vai? Segundo informações divulgadas nas redes sociais, a SpaceX, de Elon Musk, está instalando, pela terceira vez, os propulsores Raptor na nave de classe orbital Starship – algo que a empresa já fez por outras duas ocasiões, em agosto e setembro de 2021.

Desta vez, porém, tudo indica que os motores de propulsão serão instalados e ali ficarão, já que estamos chegando perto da janela de oportunidade estipulada pela própria SpaceX, que ambiciona realizar o primeiro teste prático de voo orbital da Starship até dezembro deste ano.

publicidade

Leia também

Na primeira vez, em agosto, a SpaceX montou todo o conjunto de lançamento – ou seja, os propulsores Raptor instalados na Starship, e a nave em si acoplada ao foguete Super Heavy, com os três devidamente posicionados na plataforma Starbase – para algumas checagens e um ensaio fotográfico. Pouco mais de uma hora depois, porém, houve o desmonte e o retorno da nave ao seu galpão de montagem, onde os Raptors foram removidos.

Em setembro, a empresa de Elon Musk removeu os braços hidráulicos da sua plataforma B de lançamento (usados para simular o impulso de propulsão em segurança), posicionando na área a Starship, onde novamente instalou os Raptors – todos os seis deles -, mas sem o foguete Super Heavy. A situação permaneceu por algumas semanas, quando a nave acabou devolvida ao galpão, os Raptors, removidos; e os braços hidráulicos reinstalados.

Na última semana, a SpaceX conduziu um teste criogênico da Starship, aprovando a resistência de seus componentes às temperaturas abaixo de zero geradas pelo abastecimento. Na ocasião, porém, não houve uso de nenhum propulsor Raptor.

De acordo com observadores da estrutura da SpaceX no Texas, que postaram novas imagens nas redes sociais, porém, a empresa trouxe de caminhão novos propulsores Raptor – pelo menos um de nível do mar e outro a vácuo – para a suposta instalação na Starship.

Embora nenhuma comunicação oficial tenha sido feita por parte da SpaceX (ou por Elon Musk, que adora se gabar dos progressos da companhia em seu perfil oficial no Twitter), é seguro presumir que agora é que os testes essenciais de ignição e propulsão vão começar. Estima-se que o primeiro teste de ignição estática (quando um motor ou foguete é acionado, mas sem voo) deve ser realizado entre outubro e novembro de 2021, e com o teste criogênico aprovado na primeira tentativa, falta apenas isso para que todo o conjunto fique pronto para o voo inaugural.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!