No último sábado (9), um novo rio de lava expelido pelo vulcão Cumbre Vieja provocou ainda mais destruição em La Palma, nas Ilhas Canárias, Espanha. Até ontem, registros oficiais davam conta de que um total de 1.186 edifícios foram destruídos e cerca de 5 km quadrados de terras foram cobertos com magma vulcânico.

De acordo com o Serviço de Gerenciamento de Emergências Copernicus, da União Europeia, o colapso parcial do cone vulcânico durante a noite deu origem a um novo fluxo de lava, que começou a seguir o mesmo caminho dos anteriores, descendo a cordilheira em direção à costa oeste da ilha, para se espalhar no oceano.

publicidade
A lava do vulcão chegando ao mar na madrugada de 29 de setembro: Imagem: AP Photo / Saul Santos

Leia mais:

Lava expelida pelo vulcão não representa maiores riscos pois área já estava evacuada

Segundo as autoridades, o novo fluxo está dentro da área que foi evacuada às pressas após a erupção de 19 de setembro, quando os residentes locais foram forçados a fugir de suas casas e fazendas.

O oficial de emergência Miguel Ángel Morcuende disse que especialistas estão observando de perto o delta que está sendo formado ao largo da costa da ilha. Segundo Morcuende, partes dele podem se desfazer, causando explosões e grandes ondas, “mas isso não representa um perigo, uma vez que a área imediata já foi evacuada”.

No fim de semana, o aeroporto de La Palma voltou a funcionar, depois de ficar vários dias interditado devido às cinzas vulcânicas. A movimentação costuma ser intensa, uma vez que a ilha faz parte de um arquipélago que é um destino de férias popular para turistas europeus.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!