Político ou não, ‘Far Cry 6′ chegou ao público envolvido em uma polêmica não por conta da trama, mas sim devido ao mini game de rinha de galos (veja um exemplo no vídeo abaixo), que está disponível no jogo. Prontamente, a associação “People for the Ethical Treatment of Animals” (PETA), que defende o tratamento ético de animais, emitiu um comunicado de repúdio, repreendendo a escolha da Ubisoft e pedindo a remoção do modo.

“Galos usados em brigas de rinha são equipados com esporas afiadas que rasgam carne e ossos, causando ferimentos agonizantes e fatais. PETA Latino exorta a Ubisoft a substituir este mini game repreensível por um que não glorifique a crueldade”, afirmou a gerente sênior da PETA Latino, Alicia Aguayo, em nota oficial (confira a íntegra no site oficial).

publicidade

Ainda segundo ela, “transformar um esporte sangrento horrível como a rinha de galos em uma partida de videogame no estilo ‘Mortal Kombat’ está longe de ser uma inovação”. Aguayo ainda declarou que a prática é reprimida e “jamais aceita” pela sociedade atual, citando algumas características comuns de maus-tratos envolvendo as brigas.

Em meio à passagem dos jogadores pelo mundo aberto de Yara, país fictício onde se passa o jogo, é possível apostar em uma rinha de galos que foi desenvolvida como uma paródia de títulos de luta famosos, como ‘Street Fighter’ e ‘Tekken’. O player, então, escolhe o animal em uma tela de seleção de personagens e enfrenta um adversário em uma arena 3D, com barras de energia e até golpes especiais.

O minigame de ‘Far Cry 6’, no entanto, é totalmente opcional e não obrigatório para completar o jogo ou conhecer a história. O modo é apenas uma forma de ganhar dinheiro no game, e não é necessário para algum ponto importante de gameplay. Contudo, há troféus e conquistas relacionados – fáceis de se obter, mas obrigatórios para jogadores que querem “platinar” o título.

Leia mais:

Em resposta ao repúdio da PETA, a Ubisoft também emitiu posicionamento oficial (leia abaixo), mas não entrou em detalhes, justificando a presença do minigame sem citar o pedido da PETA e tampouco a organização.

Vale ressaltar que parte da inspiração citada pela desenvolvedora para Yara é a ilha de Cuba, onde a rinha de galos ainda é comum, supostamente, apesar de apostas nos resultados serem consideradas ilegais.

“‘Far Cry 6’ é uma obra de ficção que se passa em Yara, uma ilha fictícia do Caribe. Muitas das atividades secundárias opcionais são parte da cultura e história de Yara, que foi inspirada por diversas culturas da América Latina”.

Não é a primeira vez que a PETA fica conhecida no mundo dos games por críticas a títulos. A associação já emitiu comunicados de repúdio contra ‘Pokémon Black’ por crueldade contra animais, ‘Super Mario 3D Land’ pelo uso de pele e ‘Assassin’s Creed 4: Black Flag’ pela caça a baleias.

Far Cry 6′ está disponível para PlayStation 4 (PS4), PlayStation 5 (PS5), Xbox Series X/S e Xbox One por R$ 279,95. Já no PC (via Ubisoft Store e Epic Games Store), o jogo está disponível por R$ 249,99.

Fontes: Tom’s GuidePetaCNETWashington Post e Polygon

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!