Durante a pandemia da Covid-19, os governos em todo o mundo enfrentaram a crise de fechar o comércio e estabelecer medidas de segurança, somando ao estresse sobre os sistemas de saúde estarem sobrecarregados e também a dúvida de permanecer com tudo aberto, mantendo a economia ativa, mas com os riscos latentes. Além disso, havia a dependência das pessoas respeitarem ou não.

Um estudo da Florida Atlantic University desbravou o impacto do comportamento humano no controle de doenças semelhantes à influenza, com foco no impacto econômico. Com isso, Necibe Tuncer, autor do estudo e professor associado do Departamento de Ciências Matemáticas, e colaboradores da Universidade da Flórida são os primeiros a apresentar uma nova estrutura matemática para estudar a interação entre doenças infecciosas, comportamento humano e crescimento econômico.

publicidade

Sendo assim, exploraram a interação entre doenças infecciosas que podem ser controladas por meio de intervenções não farmacêuticas – especificamente o distanciamento social que interferem no avanço da Covid-19 – e também a forma como a humidade responde com os impactos no crescimento econômico. 

Os pesquisadores introduziram dois modelos: um comportamento associado a doença humana para estudar o impacto de distanciamento social e um modelo de comportamento juntamente com um componente econômico para estudar a interação entre as doenças infecciosas.

Idosa de máscara olhando pela janela
Imagem: Miriam Doerr Martin Frommherz/Shutterstock

Os resultados da pesquisa revelam que a eliminação da doença da Covid-19 pode ser sim possível. Segundo o primeiro modelo, só é possível se toda a população praticar o distanciamento social por completo. Já o segundo modelo, destacou o papel da economia. 

Então, se a economia for mais fraca do que as normas sociais, a eliminação da doença apenas será possível se toda a população praticar o distanciamento social. Por outro lado, se a economia é mais forte do que as normas sociais, a eliminação da Covid-19 é possível com uma parcela da população praticando o distanciamento social completo em detrimento da economia.

“A falta de perspectiva econômica foi identificada como uma séria desvantagem dos vários modelos matemáticos que surgiram desde o início da pandemia”, disse Tuncer. De acordo com ele, “a questão é tão importante que tem motivado alguns estudos preliminares com discussão matemática limitada, que é o que nos inspirou a desenvolver nossos modelos, que combinam epidemiológica, teoria evolutiva dos jogos e perspectivas socioeconômicas em um único quadro.” 

Leia mais:

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!