A Organização Mundial de Saúde anunciou nesta quinta-feira (14) que a Venezuela está passando por um novo surto de febre amarela. Recentemente, o país voltou a registrar um caso 14 anos após ter ficado livre da doença. Até o momento, sete casos foram confirmados.

A indicação da OMS é para que o país amplie a vacinação contra a doença, principalmente na área da Amazônia, mais vulnerável aos mosquitos que transmitem o vírus. “Os casos reportados de febre amarela mostram a importância da vacina contra a febre, especialmente, em zonas endêmicas de alto risco, com ecossistemas favoráveis à transmissão”, informou o órgão.

publicidade

Febre amarela na Venezuela

A OMS também recomenda que todos os viajantes que forem para o país e tenham mais de 9 meses de idade tomem a vacina contra Febre Amarela pelo menos 10 dias antes de chegarem na Venezuela. Apesar disso, a agência destaca que não vê necessidade de restringir viagens ou comércios no local.

Nenhuma morte foi registrada durante o surto. Três pessoas ficaram assintomáticas e outras quatro tiveram sintomas como dor nas articulações e cabeça além de irritações na pele.

Os casos começaram a zona rural de Monagas, na cidade de Maturín. Uma jovem grávida foi a primeira a registrar a doença. No país, cerca de 67% da população é imunizada, número considerado baixo em uma região de alto risco de contágio.

Leia mais:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!