Enquanto El Savador e Ucrânia apostam no uso do bitcoin, um órgão ligado ao Ministério da Fazenda da Estônia afirmou nesta quarta-feira (13) que as autoridades do país devem revogar as licenças de todas as empresas que trabalham com criptomoedas. 

O motivo é o mesmo que já ocorre em outros países que se preocupam com a popularidade dos criptoativos: desenvolver uma legislação para regular as operações financeiras que envolvam ativos digitais.

publicidade

Segundo Matis Mäeker, chefe da Unidade de Inteligência Financeira da Estônia (FIU), a população também não estaria ciente dos riscos associados a investir em criptomoedas. Assim como na China, que proibiu transações com moedas virtuais, também há a preocupação com a saída de dinheiro do país.

Diversas criptomoedas em cima de uma mesa
Órgão regulador da Estônia diz que a população do país desconhece os riscos de investir em criptomoedas. Imagem: eamesBot/Shutterstock

Em entrevista a um portal de notícias local (Eesti Ekspress), Mäeker, que também combate à lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo na Estônia, acrescenta que se o estado não controlar esses riscos de alguma forma, o governo pode ser obrigado a lidar com as consequências no futuro.

Mäeker também aponta outro motivo para regular as moedas digitais na Estônia: as instituições que negociam em criptomoedas movimentam bilhões e a maior fatia desse dinheiro vai para outros países, o que não contribui para o avanço da economia local: “O único objetivo deles é obter uma licença e usá-la para movimentar somas muito grandes, enquanto a Estônia não ganha nada com isso”, afirmou.

Leia mais:

Por fim, vale ressaltar que a Estônia é um nome relevante no mundo dos criptoativos, já que diversas empresas da área operam no país. Resta saber quais serão os impactos que o avanço dessa possível regulamentação pode causar no mercado.

Via: Portal do Bitcoin

Nigéria decide lançar a sua própria moeda digital

O Banco Central da Nigéria (CBN) decidiu adotar uma estratégia diferente do governo da Estônia: lançar a sua própria criptomoeda, o ‘eNaira’. Quem divulgou a notícia na semana passada foi o governador do país, Godwin Emefiele.

O parlamentar revelou que o ativo digital, desenvolvido em parceria com a Bitt Inc., fará com que a Nigéria seja “um dos primeiros países da África” e do mundo a adotar uma moeda nacional em formato digital.

Créditos da imagem principal: Momentum Fotograh/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!