Sir Michael Caine não vai mais aparecer nos cinemas ou na televisão após mais de 70 anos atuando. O ator britânico de 88 anos anunciou, nesta sexta-feira (15), que vai se aposentar das telonas após seu mais novo filme, ‘Best Sellers’, comédia dramática que estreou em festivais nos Estados Unidos e no Canadá no mês de setembro.

Em entrevista à BBC Radio, Michael Caine explicou a decisão. Alguns dos motivos que o levaram a se aposentar são um problema na coluna que afeta suas pernas, o impedimento de projetos por causa da pandeia da Covid-19 e a falta de protagonismo para idosos nos cinemas.

publicidade

Leia mais:

“Curiosamente, acabou sendo a meu último papel (‘Best Sellers’) realmente. Porque não trabalho há dois anos e tenho um problema de coluna que afeta as pernas por isso não consigo andar muito bem, então… E também escrevi um livro, alguns livros, que foram publicados e tiveram sucesso, então agora não sou um ator, sou um escritor. O que é adorável, porque como ator você tem que se levantar às seis e meia da manhã e ir para o estúdio. Como escritor, você começa a escrever sem sair da cama”, comentou.

Caine apareceu nos cinemas pela primeira vez em 1950, em um papel não creditado no filme ‘Morning Departure’. O ator já trabalhava na área desde 1946. Mas foi realmente em 1956, aos 22 anos, que ele começou a ganhar mais espaço nas produções. Um dos seus primeiros trabalhos de destaque foi ‘Um Golpe à Italiana’, em 1969, como protagonista.

Em 1980, Michael Caine protagonizou o thriller psicossocial ‘Vestida Para Matar’, junto a Angie Dickinson e Nancy Allen. A lista de trabalhos do ator tanto no cinema quanto na televisão é gigantesca. Ele deixou as produções para a TV em 2003 e ficou apenas com as telonas, onde concentrou grandes interpretações como a do mordomo Alfred Pennyworth nos filmes do ‘Batman‘ de Christopher Nolan.

Michael Caine - Best Sellers
O último filme de Michael Caine é ‘Best Sellers’, no qual interpreta um autor rabugento. Imagem: Divulgação

A trilogia não foi o único trabalho do ator com o diretor. Ele integrou o elenco de ‘O Grande Truque’, em 2006, ‘A Origem’, em 2010, ‘Interestelar’, em 2014, e ‘Dunkirk’, em 2017. A mais recente das colaborações entre a dupla foi o longa ‘Tenet’, lançado no ano passado.

Michael Caine também tem uma carreira muito premiada. Ele foi indicado ao Oscar por seis vezes, vencendo duas. A primeira nomeação aconteceu em 1966, como Melhor Ator por ‘Alfie’, seguida por ‘Jogo Mortal, em 1972, e ‘O Despertar de Rita’, em 1983. As duas vitórias foram nas duas indicações seguintes, como Melhor Ator Coadjuvante, em 1986 por ‘Hannah e Suas Irmãs’ e em ‘Regras da Vida’, no ano de 1999. O britânico foi indicado outra vez em 2002, por ‘O Americano Tranquilo’, como Melhor Ator.

‘Best Sellers’, último filme em que Michael Caine atuou, coloca o ator, agora aposentado para se dedicar à escrita, como um autor rabugento chamado Harris Shaw. A atriz Aubrey Plaza é a coprotagonista. O longa deveria ter estreado em março de 2019, mas acabou adiado por causa da pandemia do coronavírus.

“Acho que seria [meu último filme], sim. Honestamente, não há ofertas há dois anos, porque ninguém está fazendo nenhum filme que eu queira fazer. Além disso, você sabe que tenho 88 anos. Não há exatamente roteiros para um protagonista de 88 anos, sabe?”, completou o ator.

Via: ScreenRant

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!