Embora o tempo esteja “estranho” em grande parte do país (‘enfiaram’ um inverno no meio da nossa primavera), a contagem regressiva para o verão já começou para muitos que adoram o calor. E um utensílio que não pode ser esquecido (em qualquer estação do ano, mas, ainda mais, no verão) é o protetor solar. Isso, todo mundo sabe.

O que muita gente talvez não saiba é que não se deve misturar tipos diferentes de cremes (nem géis ou sprays) com fator de proteção solar. Além de diminuir a eficácia, em alguns casos pode até gerar subprodutos tóxicos sobre a pele, segundo pesquisa publicada na última quinta-feira (14) na Photochemical & Photobiological Sciences.

publicidade
Mistura de protetores solar pode atrapalhar o bloqueio de raios ultravioletas ou até gerar produtos potencialmente tóxicos sobre a pele. Imagem: Maksym Azovtsev – Shutterstock

Existem algumas opções de protetor solar no mercado que são feitas a base de óxido de zinco, elemento considerado uma alternativa segura e “livre de produtos químicos”. No entanto, isso depende de como é manipulado.

Se esse filtro solar inorgânico for colocado sob ou sobre outros de origem orgânica, a maioria dos raios ultravioleta do Sol não são bloqueados tão bem quanto seria por qualquer um dos produtos isoladamente.

Segundo os pesquisadores, a mistura degradaria os filtros UV orgânicos, reduzindo sua eficácia e gerando produtos potencialmente tóxicos. 

Ainda de acordo com o estudo, a toxicidade potencial dos filtros solares foi testada apenas em peixes-zebra, não em humanos, mas essas criaturas são geneticamente muito semelhantes a nós. Além do mais, eles são representativos de muitos outros peixes do mar, que podem ser prejudicados pelo protetor solar que escolhemos usar.

Até que se descubra mais a respeito, os pesquisadores dizem que devemos evitar colocar esses produtos uns junto com os outros – não apenas para nossa saúde, mas também para a saúde do meio ambiente.

O estudo realizou testes em peixes-zebra. Imagem: Bernsten – Shutterstock

Maquiagens que contêm protetor solar exigem cautela

Isso obviamente não quer dizer que devemos parar de usar protetor solar. Por todas as preocupações que possamos ter sobre os riscos potenciais, temos a certeza de que a alta exposição aos raios ultravioleta do Sol faz com que muitas pessoas desenvolvam cânceres de pele mortais.

“Ainda recomendamos que os consumidores usem protetor solar”, diz o autor principal do estudo, o cientista de materiais Richard Blackburn, da Universidade de Leeds (Reino Unido), “mas sugerimos que eles devem ter cuidado para evitar misturar protetor solar com óxido de zinco, seja intencionalmente com filtros solares híbridos que combinam filtros UV de pequenas moléculas com óxido de zinco ou, incidentalmente, misturando protetor solar com outros produtos contendo óxido de zinco, como maquiagens que tenham FPS [fator de proteção solar]”.

“Produtos químicos aprovados para filtro solar só foram determinados como não tóxicos por si próprios, como um produto químico individual puro, não uma mistura de produtos químicos”, explica Blackburn.

Para entender melhor como os produtos químicos aprovados para filtro solar nos EUA e na Europa reagem quando combinados, os pesquisadores testaram os ingredientes encontrados em cinco filtros solares comerciais com fator de proteção solar de 15.

Então, a equipe testou o que aconteceu com a eficácia e segurança dessas fórmulas químicas quando combinadas com o óxido de zinco mineral e expostas ao Sol por duas horas.

Leia mais:

De acordo com o site Science Alert, os resultados obtidos sugerem que, mesmo se um pouco de óxido de zinco for misturado com bloqueadores solares não minerais, a proteção de uma pessoa contra os raios ultravioleta A (que constituem a grande maioria da luz solar) é reduzida em mais de 80% (possivelmente, até 92%).

Sem nenhum óxido de zinco adicionado, uma mistura feita de filtros solares não minerais perdeu apenas 15,8% de sua proteção UVA.

Isso indica que os protetores solares baseados em pequenas moléculas não se degradam muito ao Sol, embora o estudo não tenha testado os produtos comerciais diretamente, apenas os principais ingredientes bloqueadores de UV.

Conservantes e outros produtos químicos no protetor solar na prateleira podem, portanto, alterar os resultados e devem ser investigados mais profundamente, segundo os pesquisadores.

Atenção à fórmula química dos produtos

Por enquanto, os autores sugerem que as pessoas evitem misturar óxido de zinco com outros filtros solares. Mesmo que a maquiagem tenha FPS, ela poderia reduzir a eficácia do produto – e, possivelmente, também sua segurança.

Quando embriões de peixes-zebra foram expostos a várias misturas químicas e de óxido de zinco por cinco dias no Sol, foram notados níveis mais altos de subprodutos tóxicos quando o óxido de zinco estava envolvido. O peixe-zebra não morreu com esses produtos, mas a maioria deles nasceu com defeitos morfológicos.

“Esses resultados sugerem que as partículas de óxido de zinco podem aumentar a toxicidade do filtro solar de maneiras não reconhecidas atualmente”, relatam os autores.

“Tememos que a crescente onipresença dos filtros UV (em particular as partículas de óxido de metal), juntamente com a falta de estudos sobre a fototoxicidade do protetor solar, especialmente como produtos formulados, possa resultar em produtos com consequências indesejadas e substituições químicas lamentáveis” diz o artigo.

Para testar melhor o potencial de toxicidade, as soluções foram misturadas ao dimetilsulfóxido – um agente que as tornava mais solúveis em água. Embora os protetores solares não contenham esse produto químico, o destino de qualquer produto químico com implicações potencialmente perigosas para nós ou para a vida selvagem deve ser motivo para estudos contínuos.

Especialmente porque os protetores solares perigosos passaram despercebidos antes. Um composto químico de filtragem de UV contido em 3,5 mil marcas de protetor solar, por exemplo, demonstrou interromper o crescimento dos corais oceânicos e deixá-los especialmente vulneráveis ​​a eventos de branqueamento por anos, e ainda assim esses ingredientes continuam a ser usados ​​regularmente.

Nos últimos anos, mais pessoas se preocuparam com os produtos químicos de seus protetores solares, mas a pesquisa e a regulamentação dessas fórmulas ainda estão muito atrasadas.

E não se trata apenas de protetor solar. Cientistas alertam que existem vários produtos cosméticos que aplicamos diretamente na pele todos os dias que ainda não foram devidamente testados quanto à segurança. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!