Demorou, custou algumas batalhas judiciais, mas finalmente aconteceu: o Reino Unido está prestes a entrar no ramo das viagens ao espaço após as autoridades escocesas aprovarem a construção de uma base de lançamento em Sutherland, condado na escócia, após uma série de imbróglios na justiça local.

Leia também

publicidade

A aprovação, na verdade, veio no ano passado, mas uma série de acionamentos judiciais por proprietários de terra locais acabou atrasando todo o processo. Embora a base vertical de Sutherland tenha apoio popular, alguns representantes de entidades agrícolas – o condado é majoritariamente rural – sentiram que o projeto acabaria usando um volume alto de terras que, segundo eles, seriam mais proveitosos se usados na agricultura.

A corte local, porém, decidiu em favor da construção da base, por entender que o projeto é do interesse público. Entretanto, parte das terras ainda deverão permanecer disponíveis para cultivo, mesmo durante lançamentos. A condição é a de que criadores de gado e produtores das fazendas consigam realocar seus produtos em datas de lançamento de foguetes.

Segundo as informações da imprensa local, os processos movidos pelas entidades eram incentivados e custeados por Anders Holch Povlsen, um bilionário dinamarquês que apoiava a construção de outra base, a mais ou menos 300 quilômetros (km) de distância de Sutherland. A justificativa dele é a de que as Ilhas de Shetland – sua sugestão – têm terras improdutivas e edifícios militares abandonados.

Ainda assim, a corte local preferiu manter o projeto de £17,3 milhões (R$ 133,51 milhões) em Sutherland, posicionando-o dentro da Península A’Mhoine, no litoral norte da Escócia. A ideia é promover até 12 lançamentos por ano.

Empresa do Reino Unido já atua no espaço

Segundo as recentes divulgações, o lançamento inaugural da base de Sutherland será feito pela Orbex, uma empresa escocesa do ramo aeroespacial que atua no mercado de satélites de pequeno porte. Além da estreia da base, a ideia é que a empresa faça seus lançamentos sempre por lá.

Evidentemente, isso não assegura direitos exclusivos (a Orbex não é dona da base nem da região instalada), mas devido à proximidade dos negócios da empresa com a Escócia, faz sentido que ela tenha alguma prioridade.

A Orbex obteve, desde a sua fundação, cerca de £38 milhões (R$ 293,02 milhões) em financiamentos e investimentos, incluindo nomes como o Parlamento Britânico, a agência espacial britânica (UKSA) e a agência espacial europeia (ESA) entre seus apoiadores. Seu projeto mais recente é o desenvolvimento do propulsor Prime, que pode inserir a empresa no mercado de voos comerciais.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!