Os fãs da Tesla começaram a se posicionar publicamente contra a professora de engenharia e ex-piloto de aviões de combate Missy Cummings, apontada pelo gabinete de Joe Biden para a investigação das falhas no Full Self-Driving (FSD), o sistema de direção autônoma da montadora.

Cummings, que ocupa a posição de conselheira sênior de segurança do National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), ecoa opiniões já expressadas antes pelo comitê, porém começou a receber críticas nas redes sociais após Elon Musk expressar seu desagrado em relação a ela. “Objetivamente, o histórico dela é extremamente enviesado contra nós”, afirmou ele em um tweet.

publicidade

A medida criou uma insurreição de comentários contra a conselheira. “Se eles tentarem tirar o Autopilot de nós a gente vai protestar tão forte que 6 de janeiro vai parecer um dia na Disneylandia”, concluiu Omar Qazi, um entusiasta de Tesla, com um emoji de risada.

Tempos depois, ele apagou o tweet e pediu desculpas, alegando que era uma brincadeira. Após dois dias de assédio virtual, Cummings apagou as contas nas redes sociais.

Fãs da Tesla temem que investigação irá “apagar” o FSD

Missy Cummings, expert em fatores humanos, é uma crítica vocal da implementação do piloto automático da Tesla, que permite o veículo ao andar em velocidade moderada, fazer curvas e responder a sinais de trânsito sozinhos — dando a falsa impressão de ser um sistema completamente autônomo quando, na verdade, não é.

As pesquisas da professora de engenharia sugeriram que o “piloto automático” da Tesla funciona aquém de suas capacidades, e em 2020 estendeu as críticas ao serviço de robotaxi que Elon Musk prometia. À época, ela afirmou em um tweet:

“Meu laboratório está aplicando experimentos controlados no Tesla Autopilot e eu posso dizer com certeza que eles não estão nem perto de estarem prontos. Meu estudante nesse projeto deveria receber adicional de insalubridade.”

Na prática, a investigação não possui poder de remover o Full Self-Driving, embora a NHTSA tenha poder de intervenção caso se conclua que o sistema apresenta brechas para “abusos em potencial.”

No momento, a investigação — da qual os fãs da Tesla são contra — está questionando o motivo da montadora não incitar recall após a barragem de acidentes, e se houve fraude ao consumidor ao batizar o sistema com funções das quais ele não é capaz de cumprir.

Via Slate

Imagem: Lucesysombras/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!