Um painel consultivo com consultores independentes do Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, emitiu uma recomendação para que a vacina da Pfizer contra a Covid-19 seja aplicada em crianças de 5 a 11 anos de idade.

A decisão se deu após um dia inteiro de deliberações entre os especialistas. Porém, depois de muita discussão, os técnicos concluíram que as evidências científicas disponibilizadas pela Pfizer comprovaram que a vacina apresenta mais benefícios do que riscos para as crianças.

publicidade

O painel é composto por 18 membros, destes, nenhum foi contrário à recomendação da vacina para crianças. O placar final foi de 17 votos favoráveis à recomendação e uma abstenção. Como a decisão foi de um painel consultivo, a decisão tem um caráter apenas de orientação.

O que ainda falta?

Para que a vacina da Pfizer seja aplicada em crianças de 5 a 11 anos, é necessário que o FDA dê uma determinação em favor do imunizante. Esta decisão sim, tem um caráter de autorização e deve sair dentro de alguns dias, apesar de ainda não ter uma data certa para acontecer.

É bastante comum que o órgão regulatório, que é similar à nossa Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), siga as recomendações emitidas por seus painéis consultivos. Porém, o aval do FDA não é a autorização final para que uma vacina ou medicamento seja utilizado em um público.

Autorização do CDC

Depois da autorização do FDA, é necessário que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dê um parecer sobre o assunto. Só aí, o fármaco é liberado para uso em um determinado público ou faixa etária.

Leia mais:

Se tudo acontecer dentro do esperado, a vacina da Pfizer será a primeira que poderá ser utilizada em crianças de 5 a 11 anos nos Estados Unidos. Atualmente, somente o público maior de 12 anos de idade pode ser imunizado contra a Covid-19 em território estadunidense.

Via: O Globo

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!