A China fez o seu 40º lançamento de foguete orbital de 2021 na manhã da última quarta-feira (27), às 3h27 (horário de Brasília), estabelecendo um novo recorde de lançamentos por ano. O país asiático superou 2019, quando fez 39 lançamentos, mas empatou com 2020, fechado com 40.

Leia também

publicidade

O foguete Kuaizhou-1A, que levou à órbita um satélite Jilin-1 Gaofen 02F de observação da Terra, partiu do Deserto de Gobi, ao norte do país. De acordo com a emissora de TV estatal, o voo ocorreu sem problemas e o satélite “atingiu a órbita conforme planejado”. Ele agora se junta a outros diversos satélites operados pela empresa Chang Guang Satellite.

O quadragésimo lançamento chinês em 2021 serve como mais um testemunho do investimento pesado que o país vem fazendo em seu programa espacial nos últimos anos. Em 2019, a China chegou a fazer dois lançamentos no mesmo dia – apenas três horas distantes entre si – e em 2020, mandou quatro satélites para o espaço em dois dias.

Mais além, ela segue desenvolvendo as tecnologias que serão, em um futuro próximo, integradas à estação espacial Tiangong, que hoje conta com o seu módulo principal (o Tianhe) já posicionado – e, inclusive, já tem inquilinos.

O foguete Kuaizhou-1A é operado pela Expace, uma entidade corporativa a serviço da China Aerospace Science and Industry Corp., que responde ao governo. O lançamento recente acabou enfrentando adiamentos em virtude de casos confirmados de infecção pela Covid-19 dentro da equipe técnica.

Vale lembrar que a China Aerospace Science and Industry Corp. promoveu 36 dos 40 lançamentos da China em 2021. Antes desse, a empresa foi responsável pelo envio de um satélite de classe militar para “lidar com o lixo espacial”, segundo a estatal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!