Nos últimos dias o LinkedIn anunciou uma função para ajudar a encontrar vagas de trabalho remoto, agora, uma nova atualização foca em freelancers. O Service Marketplace vai permitir que usuários se promovam como disponíveis para esse tipo de função e também vai ser mais fácil para os contratantes encontrarem esses trabalhadores.

A intenção da nova aba é competir com serviços dedicados ao trabalho freelancer como a Upwork ou até mesmo o 99 Freelas aqui no Brasil. A ferramenta estava em testes desde fevereiro, nos Estados Unidos, e começou a ser liberada globalmente na última quarta-feira (27).

publicidade

Assim como o Upwork, o foco aqui é quem oferece a vaga. Ao contrário de outras ferramentas, não é o freelancer quem oferece o trabalho e sim as empresas que publicam anúncios e recebem orçamentos. Os contratantes podem avaliar seus trabalhadores, mas não ao contrário.

Leia também:

Freelancers no LinkedIn

Apesar disso, a função de freelancers no LinkedIn ainda não conta com algumas ferramentas tradicionais de sites do tipo. Não é possível fazer pagamentos pela plataforma. Tudo isso precisa ser negociado entre as partes em um ambiente externo ao da rede social.

Matt Faustman, gerente de produtos do LinkedIn, disse que o “Service Marketplace” conta atualmente com 250 categorias de trabalho para freelancers, mas em breve, a intenção é aumentar isso para 500. Então é de se esperar que o modelo vai continuar recebendo atualizações.

Para saber se o recurso já está liberado para sua conta basta checar nas opções de perfil. Abaixo da foto existe a aba “tenho interesse”, ali é possível alterar se o trabalhador está buscando um emprego ou oferecendo um freela.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!