Uma fusão que era esperada desde julho, mas finalmente foi oficializada nesta terça-feira (2). A Bugatti se uniu à empresa croata Rimac e, a partir de agora, ambas vão operar em uma joint venture chamada Bugatti-Rimac.

A empresa recém-formada será 45% detida pela Porsche e 55% pelo Rimac Group. Neste último — cuja origem também é recente —, o proprietário da Rimac, Mate Rimac, deterá 37% das ações, enquanto a Porsche terá 24% e a Hyundai, 12%. As duas empresas não informaram os investidores que ficarão com os 27% restantes.

publicidade

A sede da Bugatti-Rimac será em Sveta Nedelja, uma cidade na região metropolitana de Zagreb, na Croácia. Mate Rimac será o CEO da nova companhia, enquanto o ex-diretor geral da Bugatti, Christophe Piochon, ficará como diretor de operações. O presidente da Porsche, Oliver Blume, e o vice-presidente Lutz Meschke servirão como membros do conselho de supervisão — a montadora alemã também foi mencionda como “parceira estratégica”.

“Estou honrado por liderar esta nova fusão e começar o que sem dúvida será um novo capítulo de sucesso, revolucionário e emocionante para todos” diz Rimac, que começou sua montadora há 12 anos, em uma garagem. “É difícil encontrar uma combinação melhor do que Rimac e Bugatti. As operações aceleradas e habilidades de eletrificação da Rimac são o complemento perfeito para a excepcional herança e habilidade artesanal da Bugatti.”

Bugatti e Rimac anunciam fusão
Bugatti e Rimac continuarão a operar como fabricantes independentes, mas terão sede conjunta em Sveta Nedelja (Croácia) (Bugatti/Divulgação)

Marcas continuarão a operar como fabricantes independentes

Por enquanto, Bugatti e Rimac vão manter suas respectivas instalações em Molsheim (França) e em Zagreb (Croácia). A mudança para o novo campus da Rimac, atualmente em construção, está prevista para 2023. Este também será o local em que funcionará o setor de pesquisa e desenvolvimento de ambas as montadoras. Espera-se que 2.500 funcionários trabalhem no campus.

A Rimac continuará a construir e desenvolver seus próprios modelos, incluindo o lançamento do novo Nevera. Já a Bugatti continuará a comercializar seu hipercarro Chiron, além de ganhar acesso à alta tecnologia de mobilidade elétrica da startup.

Via Autocar

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!