A cervejaria norte-americana Samuel Adams marcou para o dia 16 de novembro o lançamento da Space Craft IPA, a cerveja criada a partir do lúpulo que a missão Inspiration4 levou ao espaço em setembro deste ano. A empresa havia comprado o ingrediente pouco tempo depois do retorno da nave que levou a tripulação à órbita da Terra e ficou lá por três dias.

A Inspiration4 foi uma iniciativa encabeçada por Jared Isaacman, o bilionário por trás da empresa de pagamentos digitais Shift4. Na ocasião, ele firmou parceria com a SpaceX, de Elon Musk, para viajar ao espaço no intuito de levantar fundos para o Hospital St. Jude, uma entidade mundialmente reconhecida no tratamento e pesquisa de câncer ósseo em crianças.

publicidade

Leia também

Banner de divulgação da cerveja Space Craft IPA, criada pela cervejaria Samuel Adams
Rótulo da Space Craft IPA, a “cerveja espacial” criada pela Samuel Adams, tem até um astronauta viajando pelo espaço, com astros refletidos no visor de seu capacete (Imagem: Samuel Adams/Divulgação)

Junto de Isaacman estavam Hayley Arceneaux, sobrevivente da doença e enfermeira no St. Jude; Sian Proctor, uma geocientista e produtora de conteúdo científico; e Chris Sembroski, um engenheiro de dados aeroespaciais. A missão foi historicamente distinta por ser a primeira totalmente civil.

A ideia de levar lúpulo para o espaço foi do próprio Isaacman, que tuitou a proposta pouco antes do lançamento da missão. A Samuel Adams demonstrou interesse e, além de receber o ingrediente após o retorno, foi nomeada a cerveja oficial da empreitada, com o nome da bebida sendo selecionado em uma enquete na qual participaram “mais de cinco mil consumidores” dos produtos da cervejaria.

Segundo a descrição oficial, a Space Craft “traz um amargor firme, com notas tropicais de toranja (ou “grapefruit”, se você preferir), goiaba e maracujá, que servem de ‘co-piloto’ junto de aromas de pinho e lúpulo resinoso”. E sim, “co-piloto” foi ideia da empresa.

A data de 16 de novembro não foi escolhida à toa: a expectativa é que, no mesmo dia, nós tenhamos o pico da chuva dos meteoros Leonídeos (falamos mais sobre ela no nosso calendário astronômico mensal). Além do lançamento da cerveja em si, a Samuel Adams se comprometeu a doar US$ 100 mil (R$ 562,04 mil) para o hospital St. Jude.

Os preços já foram divulgados: um fardo com quatro latas de 16 onças (pouco menos de meio litro) sai por US$ 22,33 (R$ 125,62), mas ainda não há informação sobre o preço de latas individuais. Porém, tudo indica que pode ser difícil adquirir um exemplar da “breja”: em uma pré-venda, o primeiro lote da Space Craft IPA se esgotou em poucas horas. A Samuel Adams disse que haverá algumas latas na própria cervejaria em Boston e que encomendas posteriores também serão entregues.

A Samuel Adams não é a primeira a sinalizar a oferta de uma “cerveja espacial”. A cervejaria mais antiga do mundo, a japonesa Sapporo, em 2009, usou cevada levada à Estação Espacial Internacional (ISS) para criar a Sapporo Space Barley, uma edição limitada de sua cerveja pilsen tradicional. Em 2014, foi a vez da Ninkasi Brewing usar fermento lançado em um voo suborbital para criar a Ground Control, uma bebida stout.

Finalmente, um projeto ainda em andamento conta com investimento da Anheuser-Busch – a dona da Budweiser – para financiar uma série de experimentos voltados ao entendimento do cultivo de produtos que levam à criação de uma cerveja no espaço.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!